Novo método de cálculo para deformação por fluência ganha prêmio da ABM

O pesquisador Cayo Roberto Ferreira Dias, estudante do Programa de Pós-graduação em Ciência e Engenharia de Materiais (PPGCEM) da UFSCar, recebeu o o prêmio de Metalurgia Física 2011, oferecido anualmente pela Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM). Em sua dissertação, Ferreira Dias abordou a “Correlação tração a quente e fluência para o cobre comercial puro”. A pesquisa realizada por ele possui um enfoque inédito e faz parte de um programa mais amplo que estuda a validação da metodologia de correlação entre dados de tração a quente, fluência e relaxação de tensão em altas temperaturas em vários sistemas metálicos.

Cayo Dias explica que a deformação por fluência é uma das principais causas da deterioração de equipamentos e componentes de indústrias de geração de energia e de processamento químico e petroquímico que trabalham a elevadas temperaturas e tensões por um determinado período de tempo. Para fazer a previsão da vida útil desses equipamentos é utilizado o convencional ensaio de fluência, que busca simular as condições do material em serviço. Neste ensaio, um corpo de prova é submetido a uma tensão estática ao mesmo tempo em que é mantido em um forno a uma temperatura constante e geralmente mais elevada em comparação à temperatura de fusão do material.

No entanto, este é um ensaio de difícil realização, pois os testes são de longa duração, podendo levar dias, meses ou até anos. Outro fator que o torna difícil de ser realizado é o alto custo devido à grande quantidade de energia demandada, além da necessidade de um aparato laboratorial complexo e funcionários qualificados para a execução dos testes. Em busca de alternativas mais baratas e eficientes, o orientador de Ferreira,  Levi Bueno tem trabalhado com a extrapolação de dados de fluência de materiais metálicos.

O método consiste na análise conjunta de dados de tração a quente e fluência em uma determinada faixa de temperatura. A pesquisa busca estudar a aplicabilidade desta metodologia no cobre comercialmente puro, e tem como objetivo verificar se ela seria adequada para os materiais não ferrosos. O trabalho também pode contribuir para uma maior validação deste critério em variedades distintas de materiais metálicos, além de ajudar a entender melhor as relações existentes entre estes dois tipos de ensaios mecânicos, que até pouco tempo eram analisados separadamente.

Tópicos:
  



Comentários