Montadoras remetem US$ 2,2 bi em lucros às suas matrizes

Os fabricantes de veículos instalados no Brasil remeteram US$ 2,2 bilhões em lucros e dividendos às suas matrizes no primeiro quadrimestre do ano, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 25, pelo Banco Central. O valor corresponde a mais de um quarto, ou 26,2%, de todas as remessas de US$ 8,5 bilhões feitas por empresas no período, o que coloca a indústria automobilística na posição de campeã de envio de recursos para fora do País até agora.

Os lucros e dividendos remetidos de janeiro a abril por fabricantes de veículos já são 143% maiores do que a soma enviada no mesmo período de 2010. Somente em abril as montadoras mandaram US$ 515 milhões às matrizes. O total de US$ 2,2 bilhões em quatro meses já é mais da metade do que foi pago em todo o ano passado (US$ 4 bilhões) pelo setor.

Investimento direto
Os investimentos diretos feitos pelas matrizes em suas subsidiárias brasileiras nem de longe seguem o mesmo ritmo do pagamento de lucros e dividendos. De janeiro a abril as fábricas de veículos receberam de fora US$ 260 milhões para investir aqui, ou só 1,1% do total de US$ 23,3 bilhões que o Brasil já recebeu em investimento estrangeiro este ano. Ainda assim, embora não significativo, o valor é 238% maior do que os US$ 77 milhões recebidos nos primeiros quatro meses de 2010 (no ano todo foram US$ 456 milhões).

Os números indicam dois fatos. O primeiro: as montadoras estão ganhando bastante dinheiro no Brasil – a despeito de todas as dificuldades sempre lembradas. O segundo: a maior parte dos investimentos anunciados pelas empresas do setor está sendo feita com recursos levantados localmente no Brasil, do próprio caixa ou de financiamentos do BNDES e outras fontes.

Tópicos:
  



Comentários