Trumpf quer dobrar faturamento em 3 anos

A presidente mundial do Grupo Trumpf, Nicola Leibinger-Kammüller, pretende dobrar o faturamento no Brasil nos próximos três anos. O anúncio foi feito durante a sua primeira visita ao país, em 7 e 8 de fevereiro. Ela veio para as comemorações dos 30 anos da empresa no Brasil e para avaliar oportunidades no mercado nacional.

“O Brasil passou bem pela crise. Mesmo no auge da turbulência econômica, as vendas se mantiveram praticamente constantes”, disse ela. O grupo alemão é um dos líderes globais na área de máquinas-ferramenta para o processamento flexível de chapas metálicas com o uso do laser e registrou recorde de venda no ano fiscal 2007/2008, com um volume superior a € 2 bilhões.

Em função da crise, as vendas totais do Grupo caíram para € 1,34 bilhão no último ano fiscal (2009-2010), encerrado em 30 de junho. Para o ano fiscal corrente há expectativa de crescimento superior a 20% nas vendas.

No Brasil, o faturamento foi de € 30 milhões. “O país representa pouco mais de 2% dos negócios globais da Trumpf, mas é um dos mercados que mais crescem para companhia”, afirmou Nicola, destacando os projetos previstos para o setor de infraestrutura.

Para o diretor geral da companhia no Brasil, João Visetti, o desafio de crescimento do Brasil pode ser traduzido em oportunidades singulares para a empresa. “A Trumpf entra com soluções para transformar chapas em vagões, caminhões, guindastes, ônibus, escavadeiras, navios e outras máquinas utilizadas nos mais diversos segmentos industriais, desde a indústria automotiva a cervejarias e estaleiros”, explica.

O setor automotivo, o de máquinas e o de implementos agrícolas, tratores e escavadeiras são os principais nichos de atuação da subsidiária brasileira e, segundo Visetti, deverão continuar a impulsionar o crescimento nos próximos anos, além do ferroviário e do naval.

O grupo, com cerca de 8 mil colaboradores e presente em 60 países, possui fábricas na Alemanha, Áustria, Suíça, Estados Unidos, China, República Checa, França, Grã-Bretanha, Japão, México e Polônia. Com 60 profissionais, a unidade brasileira, localizada em Alphaville, é responsável pela área de serviços e treinamento na América do Sul.

Tópicos:



Comentários