Projetos vão fortalecer setor metal-mecânico no Paraná

Fonte: ASN - 14/05/07

Dar competitividade às empresas do setor metal-mecânico de Londrina, aumentando as vendas e a produtividade da indústria na região. Com estes objetivos, o Sebrae no Paraná e o Sindimetal (Sindicato das Metalúrgicas, Mecânicas e Material Elétrico de Londrina) realizaram uma pesquisa que aponta os principais problemas enfrentados pelas empresas do segmento.

O diagnóstico – que integra as ações do Projeto de Competitividade do Setor Metal-Mecânico de Londrina – serviu de base para a criação de três projetos que deverão desenvolver o setor nas áreas de tecnologia, exportação e gestão empresarial.

Os projetos começaram a ser impantados já nesta quinta-feira (10), quando serão inauguradas as novas instalações do Sindimetal (Rua Santa Catarina, 50, 25º andar). Para definir as três áreas de abordagem, foram ouvidas cerca de 170 empresas do setor.

Por ser uma área de atuação muito diversificada (fazem parte da cadeia produtiva desde serralherias até indústrias de baterias de motor, por exemplo), inicialmente os projetos contemplarão os problemas apontados nas áreas comerciais, de produção, tecnologia e exportação, ou seja, áreas que independem do segmento de atuação.

De acordo com o consultor do Sebrae no Paraná e gestor do projeto, Ricardo Magno da Silva, cada projeto foi estruturado com base em um dado apontado pelo diagnóstico. Para 52,33% dos entrevistados, a ausência de certificações de qualidade é um dos principais problemas de gestão (apenas 6% das empresas possuem algum tipo de certificado).

Para 83,53% há pouca mão-de-obra qualificada disponível, sendo que 69,53% afirmam ter dificuldades de encontrar candidatos bem qualificados. Daí a necessidade de criar um projeto de Gestão Empresarial que englobe desde o gerenciamento da empresa até a qualificação de mão-de-obra, comercialização, marketing, entre outros pontos.

Enquanto 54,17% dos ouvidos encontram alguma dificuldade em encontrar maquinário, 71,53% apontaram os avanços tecnológicos como pontos que podem melhorar e desenvolver o setor.

Neste sentido, foi criado um projeto exclusivo para Tecnologia. “O setor metal-mecânico é um dos que mais emprega mão-de-obra em Londrina; são mais de 30 segmentos diferentes neste setor. Com mais competitividade, as empresas serão mais lucrativas, fazendo com que mais pessoas sejam absorvidas por esse mercado, o que contribui para o desenvolvimento de toda a região”, avalia o consultor.

A Exportação é outro ponto que deverá ser trabalhado, apesar de apenas 13,25% das empresas ouvidas exportarem com freqüência. “Não podemos mais olhar o mercado como somente a região de Londrina, ele é muito mais amplo.

Percebemos que o setor metal-mecânico tem grandes possibilidades de crescer e as empresas que estiverem preparadas verão a exportação como uma alternativa imprescindível”, destaca Valter Luiz Orsi, presidente do Sindimetal.

Dinâmica de Relacionamento irá apontar futuras demandas

A pedido do Sindimental, o Sebrae no Paraná criou uma nova Dinâmica de Relacionamento que irá dar mais subsídios para identificar as necessidades que deverão ser trabalhadas no setor.

Com a ajuda de um Software de Relacionamento, o recém-criado Departamento de Relações Empresariais terá um banco de dados completo das empresas do setor: quais segmentos fazem parte, quantos funcionários terão por empresa, quanto movimentam por mês, entre outros.

De acordo com Orsi, a nova dinâmica possibilitará a criação de projetos futuros, desta vez, divididos pelos segmentos do setor. “Com o banco de dados, poderemos criar treinamentos e projetos que contemplem cada segmento especificamente”, diz.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias no Paraná (http://asn.sebraepr.com.br)
sebrae@pr.sebrae.com.br
Assessoria de Comunicação - (41) 3330-5755 ou 3330-5846



Comentários