CSN tem recomendação de compra

Fonte: InfoMoney - 10/05/07

Um dia após o governo obter uma autorização judicial para penhorar recursos no montante de R$ 1,188 bilhão, a Ágora Corretora publicou relatório reiterando a recomendação de compra para as ações ordinárias da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional).

Os papéis "se caracterizam como nossa principal opção de investimento dentro do setor siderúrgico brasileiro. Ressaltamos ainda que revisaremos para cima nossas projeções e, conseqüentemente, o preço-alvo para as ações da CSN, que estão inseridas em nossa carteira recomendada tipo moderada", comentam os analistas.

Atualmente, o target price está descrito em R$ 104,24, o que sugere um potencial de valorização até dezembro deste ano de aproximadamente 5,3% para os papéis, que já subiram mais de 55% neste ano de 2007.

Dividendos serão pagos
Em relação ao bloqueio de recursos, os analistas destacam que a decisão ainda encontra-se em primeira instância, havendo espaço para reversão. "É importante mencionar também que a CSN pediu à justiça a substituição do bloqueio dos dividendos por montante semelhante em dinheiro (do caixa da empresa)", completam os analistas.

Complementando a análise, os analistas da Planner sugerem: "acreditamos que a empresa não deva aguardar uma eventual reversão da decisão judicial para realizar o referido pagamento, uma vez que encerrou o primeiro trimestre de 2007 com uma posição de caixa de R$ 77,5 milhões mais R$ 3,1 bilhões em títulos de curto prazo, recursos mais do que suficientes para honrar o pagamento".

Os analistas da corretora SLW também demonstram pouca preocupação sobre o não pagamento dos proventos e impacto do bloqueio dos recursos sobre o desempenho de suas ações. "O fato não deve ter impacto sobre as ações da empresa, já que a CSN pagará os dividendos de qualquer maneira e está tentando resolver judicialmente para evitar medidas não previstas anteriormente".

Em linha com os dizeres anteriores, o presidente da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), Marcelo Trindade, disse que, se a CSN já tiver aprovado o pagamento dos dividendos em assembléia de acionistas, terá de distribuir os recursos independente do bloqueio determinado pela justiça.

Sem impactos financeiros adicionais
Avaliando possíveis impactos nas contas da CSN caso o bloqueio dos recursos não seja revertido, a equipe da Planner Corretora informa ainda que os recursos financeiros da ação judicial já se encontram provisionados no balanço da empresa.

Assim, como já impactaram o resultado de exercícios anteriores, não deverão influenciar resultados futuros da empresa, mesmo que a Justiça mantenha a decisão desfavorável à CSN, explicam os analistas.

Entenda o que está acontecendo:
Na última terça-feira, o governo obteve uma autorização judicial para penhorar R$ 1,188 bilhão da siderúrgica, que representam todo o lucro líquido obtido em 2006.

Do montante bloqueado, R$ 685,262 milhões estavam na conta corrente da CSN e seriam distribuídos aos seus acionistas sob a forma de dividendos. O restante, R$ 503,893 milhões, diz respeito ao bloqueio de ações em tesouraria.

A penhora destes valores pela Justiça foi resultado de um processo de execução fiscal no qual a CSN solicita a compensação de crédito-prêmio de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) com valores devidos de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ).

É importante mencionar, no entanto, que a decisão da justiça não é definitiva e, segundo a própria Procuradoria-Geral da União, uma decisão judicial poderá reverter a situação, sendo que, neste caso, o prazo para a devolução dos recursos para a CSN deverá ser de aproximadamente 48 horas.



Comentários