Primeiro ano de engenharia aeronáutica na UFU

O novo curso pretende suprir a falta de profissionais em uma área em expansão

Com o Brasil parte de um pequeno grupo de países que dominam a tecnologia aeronáutica, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) investiu em um novo curso que forma engenheiros especialistas nesta área. Com a primeira turma ingressando em 2010, o curso vem suprir a carência de profissionais que atendam ao crescimento do transporte aéreo e suas necessidades de inovação tecnológica.

A concepção, fabricação e manutenção, tanto de aviões quanto de helicópteros, de pequeno, médio e grande porte, civis e militares, são algumas das áreas que o engenheiro aeronáutico poderá atuar. Além disso, o profissional também é capacitado para execer funções no planejamento e gestão em empresas de transporte aéreo.

Além de aeronáutica, a Faculdade de Engenharia Mecânica da UFU (Femec) possui mais duas graduações em engenharia - mecatrônica e mecânica. São cerca de 465 estudantes e 50 professores na instituição. O curso de mecânica, de onde nasceu a Femec, existe desde 1962. "Hoje, a Femec conta com um corpo docente extremamente qualificado, com praticamente, todos doutores, o que reflete na qualidade do ensino, retratado pelo reconhecimento de excelência por orgãos como o MEC, e também considerado um curso 5 estrelas pela comunidade", orgulha-se o coordenador da faculdade, professor Ênio P. Bandarra Filho.

A Femec também oferece diversas atividades extra-curriculares que complementam o currículo do estudante, como equipes de competição - Aerodesign, Mini-Baja e Robótica Móvel -, empresa júnior, iniciação científica, intercâmbios, entre outras. Para aprimorar os estudos com uma experiência no exterior, "a UFU possui convênios com universidades da Europa e da América do Sul. Entre eles, destacam-se o programa de Mobilidade Acadêmica com a França, Alemanhã, Portugal, Itália, Paraguai e Bolívia", lembra o professor. Além disso, a Femec é acreditada no sistema Arcu-Sul, que possibilita além da mobilidade, ter o diploma reconhecido nos países integrantes do Mercosul. Na parceria com a França o programa fornece duplo diploma, permitindo que o estudante atue nos dois países com uma graduação válida.

Outra característica das graduações da instituição, inclusive para o novo curso, são as parcerias com empresas privadas, que segundo Bandarra, é importante pois possibilita ao estudante "ter contato com a demanda específica de um projeto da indústria e aplicar seus conhecimentos para o melhor desenvolvimento de determinado produto". Entre as parceiras estão a Petrobrás, Embraer, Whirpool, Fiat, entre outras.

Semestralmente, a Femec oferece 20 vagas para ingresso no curso de engenharia aeronáutica, 40 para engenharia mecânica e 20 para mecatrônica. Subdividida em quatro núcleos - Núcleo de Projetos e Sistemas Mecânicos, Núcleo de Termo-Fluidos, Núcleo de Fabricação e Núcleo de Materiais - possui laboratórios de ensino e pesquisa que fornecem suporte à graduação.

Tópicos:



Comentários