Light investe e aposta em energia eólica

A Light vai intensificar os investimentos no setor de geração. A empresa, que distribui energia para 66 cidades do Rio de Janeiro, prevê investir R$ 1,5 bilhão nos próximos anos em parceria com a Cemig, sua principal acionista. À companhia fluminense, caberá um aporte de R$ 750 milhões, com 70% desse valor financiado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Entre as quatro novas usinas que serão construídas, estão duas eólicas. Serão os primeiros projetos da empresa envolvendo produção de energia elétrica a partir dos ventos. Previstas para o Ceará, terão potência de 35 MW (megawatts), mediante custo de R$ 150 milhões.

No primeiro semestre de 2010, a Light investiu R$ 34 milhões em projetos de geração. Em igual período em 2009, foram apenas R$ 2,7 milhões.

Todas as usinas vão agregar 255 MW ao parque de geração nacional. A Light ficará com metade disso, e com isso, terá capacidade instalada de 985 MW.

O principal investimento está previsto para a usina hidrelétrica de Itaocara, na divisão do Rio com Minas Gerais. Ainda sem licenciamento ambiental, a unidade custará R$ 1,1 bilhão e terá capacidade instalada de 195 MW.

Em andamento, está o erguimento da PCH (Pequena Central Hidrelétrica) Paracambi, que terá potência de 25 MW.

"A presença da Cemig estimula os investimentos em geração e nos dá mais agilidade. Diversificar nosso portfolio é importante", afirmou o diretor de energia da Light, Evandro Leite Vasconcelos.




Comentários