Mec Show movimenta vendas na região sudeste

Em seu segundo dia, grandes vendas já marcam a Mec Show 2010. Voltada para a região sudeste, focando principalmente o estado do Espírito Santo, a feira tem expectativas de fechar R$ 100 milhões em negócios. Entre as empresas que comemoram os resultados de vendas, estão a Cimhsa e a Messer.

Importadora de máquinas e representante exclusiva das marcas Travis e Clever no Brasil, a Cimhsa vendeu no primeiro dia quatro máquinas, dois tornos e duas fresadoras. Vinicius Cordeiro, gerente de vendas, garante que as vendas vão continuar e superarão facilmente 2009, quando foram vendidas nove máquinas no total. "a feira incrementa as vendas não somente na semana do evento, mas também nas semanas seguintes". O evento tem um apelo próprio por se realizar no Espírito Santo, uma região de grande crescimento industrial e tecnológico.

Furadeira de coluna e centro de usinagem da CimhsaA empresa paranaense aproveita a Mec Show para lançar sua nova máquina: a furadeira de coluna, da marca Clever, linha Z5050. E, também, apresentar o centro de usinagem, da Travis, linha M 1000 SL. 

Já a Messer Cutting Systems, companhia especializada na tecnologia de corte térmico, vendeu uma máquina no valor de quase R$ 500 mil. A Multi Therm, de médio porte, alcança as necessidades de 70% dos segmentos representados na feira, segundo o presidente executivo da empresa no Brasil, o alemão Ralf Dippold, responsável pela abertura da filial no país.

Máquina de corte Multi Threm, da MesserDippold espera vender pelo menos uma máquina dessas por dia até o final da feira. Ele ainda reforçou a importância do evento e lembrou da valorização que as feiras, de modo geral, possuem no Brasil. "No Brasil, as feiras significam mais que em outros países, é a chance de mostrar os produtos para os clientes. O mercado do Espírito Santo é muito importante pelo grande crescimento e por investir em tecnologia".

A Mec Show se realiza no Pavilhão de Carapina, na Grande Vitória, e reúne 120 expositores até o dia 30 de julho. Segundo um dos organizadores, Marcos Milanez Milanese, para o ano que vem não só o espaço físico e o número de expositores irão aumentar como o tempo do evento, passando de três para quatro dias.
Tópicos:



Comentários