Montadoras pedem fim da 'distorção' no minério


O setor automobilístico europeu está preocupado com o aumento dos preços do minério de ferro e pediu que a Comissão Europeia "combata acontecimentos que distorcem" o setor de matérias-primas, segundo a Associação dos Fabricantes de Automóveis da Europa (Acea).

O minério de ferro é um ingrediente fundamental para a produção de aço e o grupo afirmou que cerca de 1 tonelada de aço é usada para produzir um carro. Aproximadamente 1,6 tonelada de minério de ferro e 0,6 tonelada de carvão de coque são usados para cada tonelada de aço produzido. Algumas siderúrgicas preveem que o aumento no minério de ferro pode levar a um aumento de US$ 160 por tonelada em alguns produtos de aço.

Por isso, o risco de políticas de preços excessivos e imprevisíveis prejudicará a competitividade da indústria da Europa, em um momento em que a demanda dos consumidores ainda está baixa. "O setor automobilístico precisa de acesso amplo a matérias-primas em condições de competitividade, especialmente em tempos de circunstâncias econômicas frágeis", disse a ACEA, classificando as três maiores produtoras de minério de ferro como um oligopólio em seu poder sobre os preços.

A Vale e as anglo-australianas BHP Billiton e Rio Tinto controlam quase 75% da produção de minério de ferro do mundo. Esta semana a BHP informou que chegou a um acordo sobre preços de contrato de curto prazo de minério com um número significativo de clientes da Ásia que anteriormente negociavam os preços em uma base anual.

Tópicos:
  



Comentários