Lenta recuperação do crédito dificulta reação das micro e pequenas empresas

 
Grandes empresas já saíram da crise, mas micro, pequenas e médias ainda enfrentam dificuldades.

Em janeiro de 2010, houve 132 pedidos de falência em todo o país, contra 124 em janeiro de 2009. É o que revela o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações. Dos 132 requerimentos verificados em janeiro último, 68% (90 pedidos) foram feitos por micro e pequenas empresas. Foi a maior incidência proporcional desde novembro de 2008, sinalizando que este porte ainda enfrenta dificuldades e não conseguiu se recuperar plenamente da crise.

O crescimento gradual do crédito para pessoa jurídica tem ocasionado um descompasso frente às necessidades de capital (das empresas) em um ambiente de crescimento econômico, e o requerimento de falência permanece sendo utilizado como pressão de cobrança, explicam os economistas da Serasa Experian.

Quanto às falências decretadas, houve 69 decretos em janeiro de 2010 (63 de micro e pequenas, e 6 de médias empresas), número superior aos 61 observados em igual mês do ano anterior. As grandes empresas, por sua vez, não tiveram nenhuma falência decretada no primeiro mês do ano, demonstrando terem saído definitivamente da crise.

Já as médias empresas exportadoras foram sensivelmente prejudicadas, devido ao baixo crescimento e recessão no exterior, além da valorização do real e da crescente concorrência no mercado de importação.

Os economistas da Serasa Experian acreditam que as dificuldades das empresas serão menores daqui para frente, com um avanço mais acelerado do crédito para os negócios, acompanhado de uma inadimplência menor.


 

Tópicos:
  



Comentários