Projetos para portos devem atrair US$ 20 bi de aporte de empresa

Serão R$ 700 mi para os portos e quase R$ 8 bi para as cidades sede da Copa 2014

Foto: Divulgação

O governo está desenvolvendo projetos que gerarão melhorias nos principais portos brasileiros e, nos próximos cinco anos, isso deverá atrair investimentos privados para o setor portuário, de até US$ 20 bilhões, segundo estimativas do ministro Pedro Brito, secretário especial de Portos (SEP).

Segundo ele, as obras do Programa Nacional de Dragagem , que permitirão o ancoramento de navios de grande porte, e a desburocratização a partir da implantação, em abril, do Programa Porto Sem Papel vão baratear os custos de frete, com reflexo nos preços dos produtos importados e também dos produtos que serão exportados.

Nos próximos anos os portos das sete cidades brasileiras que vão sediar jogos da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 receberão cerca de R$ 700 milhões. O objetivo é facilitar o ancoramento de transatlânticos em Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, Recife, Natal e em Manaus.

Brito destacou que esses investimentos têm foco nos eventos esportivos que serão realizados no país e inclui logística para recepção de visitantes. As novas instalações vão ainda dar agilidade ao transporte de cargas, com impacto sobre a balança comercial brasileira, disse o ministro. Dos R$ 700 milhões que serão investidos nas cidades portuárias que sediarão os jogos, o Rio de Janeiro deverá receber o montante de R$ 300 milhões. O ministro disse que haverá maior demora na conclusão das obras no Rio de Janeiro, pois serão construídos três novos piers de atracação para grandes navios.

Trânsito
Esta semana, o governo anunciou investimento de R$ 7,68 bilhões em 47 projetos que vão ajudar a melhorar o trânsito nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Foram selecionados projetos que facilitem a mobilidade entre aeroportos, hotéis e estádios e possam ser concluídos de acordo com o cronograma estabelecido pela Fifa, considerados os benefícios que os projetos trarão para as cidades após a realização do mundial.

"Os investimentos certamente vão garantir a mobilidade dos turistas, mas estão focados na melhoria da qualidade de vida das pessoas que moram nessas cidades", ressalta o ministro das Cidades, Marcio Fortes. Fortes destaca que cerca de 30% serão investidos em sistemas de transporte sobre trilhos. Trata-se de projetos monotrilhos (trens suspensos), que serão implantados em São Paulo e Manaus, e de veículos leves sobre trilhos (VLT), em Brasília e Fortaleza.

Os demais recursos financiados serão investidos na implantação de corredores de ônibus, estações de transferência, terminais e sistemas de monitoramento e BRTs.

Tópicos:
  



Comentários