Messer vai investir R$ 500 mil e dobrar mão-de-obra

Fotos: Divulgação

Um dos principais objetivos da Messer do Brasil para este novo ano é o investimento de aproximadamente R$ 500 mil para a ampliação da área fabril, do quadro de colaboradores e da produção de máquinas em 50%, além de treinamentos. "Para que nosso atendimento técnico fique ainda melhor e mais ágil, enviaremos a nova equipe de colaboradores para ser treinada na Alemanha e nos Estados Unidos, algo que é um dos nossos principais diferenciais. Dessa forma, com pessoas cada vez mais preparadas, também poderemos entregar máquinas no menor prazo possível aos clientes", observa o diretor-executivo, Ralf Dippold.

Dippold afirmou que outros planos serão colocados em prática no próximo ano, como o projeto '5S', o programa 'Gerenciamento Enxuto', a obtenção da norma ISO 9000 e a criação de uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

De acordo com os dados apresentados no balanço de 2009, a companhia superou todas as metas estabelecidas. "Com relação ao faturamento de máquinas, ultrapassamos em 36% o número que havia sido estipulado. O mais importante é que todo esse excelente resultado foi conquistado em um ano de crise e enquanto muitas empresas demitiram, nós aumentamos a equipe em 30%", destacou Dippold.

Uma das estratégias adotadas pela organização foi a participação em feiras do setor, sete em 2009. Entre elas a Schweissen & Schneiden, na Alemanha, com o objetivo de incrementar sua atuação no mercado de corte. O diretor-executivo conta que "além disso, chegamos à conclusão de que para crescermos precisaríamos instalar máquinas no maior número possível de estados brasileiros e ampliar a nossa quantidade de representantes".

Dippold ainda lembra d
a recente prorrogação do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) para 30 de junho de 2010, que será um importante incentivo para todo o segmento no próximo ano. Entre outros benefícios, o programa garante o financimento pelo Finame com taxa de juros de 4,5% ao ano e prazo de até 10 anos para pagar.

Tópicos:
  



Comentários