Empresa investe US$300 mi em eólica

A Pacific Hydro pretende abastecer 40 mil casas com a energia gerada

Fonte: IDER - 30/04/07

Foto: Divulgação

A Pacific Hydro pretende abastecer 40 mil casas com a energia gerada pela força dos ventos. A Austrália escolheu o Brasil para desenvolver um projeto de energia eólica (gerada pela força dos ventos) com investimentos totais de US$ 300 milhões. Lançado em fevereiro deste ano, o projeto, batizado de Millennium e pertence à empresa australiana Pacific Hydro, produzirá, a partir de outubro, inicialmente 10,2 megawatts (MW), para abastecer residências do município de Lagoa Nova, a 135 quilômetros de Natal (RN).

A quantidade inicial de energia é pequena, porém, numa etapa seguinte será construído um outro parque eólico, também no Rio Grande do Norte - a região ainda não foi definida - com potência de 45 MW. No total 40 mil casas poderão ser beneficiadas, juntando-se a primeira fase em Lagoa Nova mais a segunda estrutura de 45 MW, de acordo com informações do cônsul geral da Austrália no Brasil, Mark Argar.

Dos US$ 300 milhões previstos para o projeto, US$ 25 milhões já foram aplicados. O restante dos recursos - R$ 275 milhões - serão investidos nos próximos quatro anos, em outras regiões do País. "O desenvolvimento dessa fonte na Austrália esta bem avançado, e, por isso, queremos expandir também esse tipo de geração no Brasil".

Mesmo considerando que a energia eólica exige tecnologia avançada e, por conta disso, é mais cara, seus benefícios ambientais tornam viável o investimento, explica. A transação entre os dois governos começou depois que o Consulado Geral da Austrália, em São Paulo, realizou uma pesquisa e conseguiu identificar áreas de prospecção para novos negócios, perfeitamente adequadas para o uso da energia eólica.

"O papel do Consulado é intermediar essas transações entre as empresas australianas, que podem contribuir com tecnologia de ponta e know-how", afirma. "A Pacific Hydro atendeu esse desafio conforme as tendências mundiais de gerar energia renovável", ressalta Argar, completando que o mercado brasileiro está criando um ambiente amigável e confiável para investimentos em diversos setores.



Comentários