POLI vai aos EUA na SAE Aerodesign

Fonte: Poli - 26/04/07

 Alunos de 2º ao 5º ano de Engenharia da POLI/USP vão representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em Fort Worth, Texas
( EUA), nos dias 4 a 6 de maio de 2007. O Projeto, desafiante, foi também apresentado para a NASA e gerou a criação de um software de
projeto inédito –  A equipe Keep Flying, da Escola Politécnica da USP (POLI/USP), campeã pela Classe Regular da VIII Competição SAE BRASIL AeroDesign 2006, parte no próximo dia 30 de abril para a Flórida, onde irá representar o Brasil na SAE AeroDesign East Competition, prova internacional que reúne equipes dos Estados Unidos, Colômbia, Venezuela, Marrocos e países europeus.

Segundo a SAE BRASIL, instituição promotora da etapa brasileira, os eventos AeroDesign tem por objetivo propiciar a difusão e o
intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes de graduação e pós-graduação em Engenharia,
Física e Ciências Aeronáuticas, por meio de aplicações práticas e de uma desafiante competição entre equipes.

De acordo com o capitão do time, Rodrigo Sauri Lavieri, estudante do quinto ano, a equipe é formada por alunos de todas as áreas da
engenharia, uma vez que o projeto exige conhecimentos específicos, como Elétrica, Mecânica, Mecatrônica, Naval, Aeronáutica, entre
outras.

 Vôo alto, com os pés no chão

O projeto do avião é criado e desenvolvido pelos alunos. Ele parte da concepção, passa por orçamento, viabilidade técnica e financeira, busca de patrocínio, entre outras etapas. Educativo, prevê incutir no aluno hábitos de pesquisadores, como preenchimento de relatórios, defesas em banca etc. "Foram dias e madrugadas redigindo relatórios e detalhando o projeto. A competição dos Estados Unidos exigiu elaborar um relatório técnico de 30 páginas. Passaremos também por uma banca de profissionais da área. Por último ocorrerá a apresentação do avião", relata o capitão.

Em 2006, os alunos da POLI/USP conquistaram o maior prêmio da competição brasileira, com o projeto e fabricação de um avião
cargueiro controlado por rádio capaz de transportar 12,135 quilos de carga útil. O projeto brasileiro para a competição Internacional é completamente diferente. Foi necessário conceber, em apenas 6 meses, um novo avião, com restrições geométricas
desafiadoras. A título de comparação, o avião de 2006 foi um biplano de envergadura de 1,84 m2 e agora, para 2007, foi
desenvolvido um monoplano de 0,6 m2 de envergadura. "É um projeto complexo, pois exigiu soluções de sustentação ainda não
trabalhadas em provas anteriores. Os novos requisitos conduziram a um projeto com características muito diferentes – maiores
velocidades médias, maiores esforços estruturais, menores áreas de asa e por isso menores potenciais de sustentação em princípio – e
a equipe teve de lidar com outras variáveis.", comenta o capitão.





Comentários