Vantagens e desvantagens do tecnólogo

Foto: Divulgação

Um curso tecnológico surgiu quando Pedro Luiz Szlachta mais precisava. Em 1999, ele já era um profissional experiente no ramo de gestão ambiental, mas não tinha formação de nível superior. Até que soube que a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) abriria o curso de tecnologia em química ambiental. Ele prestou o vestibular e colou grau em 2003.

“Me formei em quatro anos, mas poderia ter feito em até três anos e meio, se não tivesse minhas ocupações,” diz ele, referindo-se à Equilíbrio Soluções Ambientais, empresa que criou, junto com um amigo, em 1999.

Szlachta diz que, caso tivesse cursado engenharia ambiental, seria quase impossível conciliar o trabalho com o curso, que é de período integral. “Além disso, o meu diploma só viria no mínimo em 5 anos.”

O título de tecnólogo, segundo ele, ajudou a respaldar o trabalho que já vinha desenvolvendo, assim como a experiência na faculdade trouxe contatos profissionais e abriu novos horizontes. Hoje Pedro cursa mestrado em meio ambiente e continua à frente de sua empresa, que atende cerca de 35 clientes e emprega 8 funcionários – inclusive outros tecnólogos.

Rejeição
O curso de tecnólogo não foi a melhor escolha para Carlos Eduardo Linzmeyer de Brito, 23 anos, que sempre sonhou em ser engenheiro mecânico. Como no primeiro vestibular ele não conseguiu entrar no curso desejado, acabou fazendo Tecnologia em Automação Industrial na UTFPR.

Dois meses de aulas bastaram para desistir do curso. Uma das coisas que contribuíram para essa decisão foi o preconceito que sentia por parte dos alunos e professores de engenharia que, segundo ele, gostavam de reforçar que tinham mais conhecimento do que os tecnólogos.

Constatando também que não poderia assinar projetos maiores como fazem os engenheiros e acreditando que iria ganhar menos do que eles, Carlos fez o vestibular novamente para engenharia mecânica na UTFPR. Seu verdadeiro sonho acabou concretizado e hoje ele se diz satisfeito, cursando o sétimo período de mecânica.

Voltar à reportagem

Tópicos:



Comentários