PSA inaugura unidade de usinagem de motores

Foto: Divulgação

A PSA Peugeot Citroën inaugurou em 31 de julho a Unidade de Usinagem de Motores em Porto Real, que integra o Centro de Produção do Grupo, no Estado do Rio.

“Confiamos nas ações do Governo para minimizar os efeitos da crise econômica e não diminuímos em nenhum momento o ritmo de implantação da nova unidade, que ficou pronta três meses antes do previsto” - disse Vincent Rambaud, presidente da operação para o Brasil e a América Latina.

A Unidade de Usinagem de Motores, a primeira do Grupo PSA no país, recebeu investimentos de R$ 91 milhões e produz blocos e cabeçotes para motores de 1,6 litro flex e a gasolina. Os componentes atenderão a produção da vizinha fábrica de motores.

O objetivo do novo investimento é suprir a produção de motores de 1,6 litro que equipam os modelos Citroën C3 e Xsara Picasso e Peugeot 207, 207 SW e 207 Passion fabricados em Porto Real. Estes propulsores também são exportados para a Argentina, onde são instalados no Peugeot 307 e 307 Sedan e nos Citroën C4 e C4 Pallas.

As linhas da usinagem têm capacidade para produzir 100.000 blocos de ferro fundido e 80.000 cabeçotes de alumínio por ano, em três turnos. A unidade começa a operar com 58 trabalhadores, em um turno nas duas linhas para ganhar ritmo. Em um mês a linha de cabeçotes passará a funcionar em dois turnos.

A abertura da nova unidade industrial é considerada passo estratégico para o desenvolvimento da PSA Peugeot Citroën na região, garantindo melhor margem operacional, reduzindo custos com importação e otimizando processos logísticos.

O projeto, conduzido por técnicos do Mercosul e da França, é referência mundial para o grupo PSA, com o emprego de tecnologias avançadas, conceitos lean e preocupação com aspectos relativos à qualidade da produção. A empresa destaca também a preocupação com o meio ambiente nas instalações, que privilegiam a iluminação natural, absorvem energia solar para aquecimento de água e recupera todos os resíduos da operação, incluindo fluidos, ferro e alumínio.
Tópicos:



Comentários