Descoberto em Minas imenso tesouro de minério


O município de Salinas, no Norte de Minas, conhecido mundialmente pela produção artesanal de cachaça, guarda outro tesouro prestes a sair do baú: uma reserva estimada em 12 bilhões de toneladas de minério de ferro. As jazidas despertam o interesse de mineradoras e siderúrgicas que, juntas, acabam de criar o projeto Novo Horizonte para implementar empreendimentos voltados ao segmento minero-metalúrgico. Vale, CSN e Votorantim são alguns dos conglomerados industriais dispostos a investir na "província mineral", formada ainda pelos municípios de Rio Pardo de Minas, Grão Mogol e Porteirinha.

Segundo João Augusto Hilário, gerente da Coffey Mining, empresa de consultoria responsável pela montagem de toda a engenharia inicial do projeto, a reserva mineral é superior a 10 mil campos de futebol, equivalente a um terço da área de Belo Horizonte. "As reservas serão divulgadas pelas empresas que investem na região, após a conclusão dos diversos estudos e projetos", disse. A expectativa é de que até 2011 o projeto Novo Horizonte entre em operação.

Segundo ele, o volume dos investimentos é mantido em sigilo, bem como os projetos das empresas em verticalizar a produção, de instalação de usinas para transformar o minério em aço, ferro-fundido ou ferro-gusa. Porém, conforme já informou o Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), apenas um projeto deve consumir mais de R$ 2,4 bilhões e atrair 3.000 empregos diretos.

"Alguns estudos de engenharia em andamento apontam para uma produção de 20 milhões de toneladas de pelotas de ferro por ano, que deveria evoluir para 50 milhões de toneladas/ano. Um complexo de mineração desse porte, com mina, usina, ferrovia ou mineroduto e porto, gera de 5.000 a 10 mil novos postos de trabalho, contando empregos diretos e indiretos. Esses parâmetros vêm sendo discutidos pelas principais empresas envolvidas no projeto", afirmou.

"A área tem dimensões que a colocam entre as maiores do mundo", comenta Renato Ciminelli, gerente executivo do Polo de Mineração e Metalurgia, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Segundo ele, o grande desafio é mobilizar a região para receber os investimentos. Além da logística para o escoamento da produção, haverá ainda a necessidade de qualificação de mão de obra local.



Comentários