Economia de baixas emissões de CO2 vale US$ 4,1 trilhões

Foto: Divulgação

Governo britânico lança programa para centralizar os projetos de tecnologias limpas e outras indústrias ambientais e divulga pesquisa que demonstra o grande valor econômico da área

A economia mundial ligada a produtos e serviços ambientais e de baixas emissões (LCEGS), como as energias renováveis, energia nuclear, mercado de carbono e reciclagem, foi avaliada em US$ 4,1 trilhões em 2008 de acordo com um estudo encomendado pelo governo britânico.

Segundo os pesquisadores da Innovas, responsáveis pela análise, o setor movimentou US$ 151 bilhões apenas no Reino Unido em 2007/2008 e foi responsável por 880 mil empregos. Para se ter uma idéia, a economia britânica como um todo foi avaliada em US$ 2,2 trilhões no mesmo período.  O Innovas previu ainda que haverá um crescimento de US$ 64 bilhões na próxima década e a criação de cerca de 400 mil empregos.

O relatório divide o setor de LCEGS em três partes: serviços ambientais tradicionais, como reciclagem e administração de água e lixo; renováveis, como eólica, solar e biomassa; e baixas emissões, incluindo energia nuclear, mercado de carbono e tecnologias de construção.

O estudo descobriu que as baixas emissões respondem por quase metade do setor de LCEGS, somando mais de US$ 1,9 trilhões. As energias renováveis são 31%  (US$ 1,3 trilhões), enquanto as atividades ambientais tradicionais respondem pelos 21% restantes (US$ 930 bilhões).

O maior mercado para o setor é a Ásia, que representa 38% do total global, seguida pelas Américas, com 30%, e Europa 27%. Entretanto, o LCEGS é avaliado em US$ 890 bilhões nos EUA, a maior fatia de um único país. A China vem em segundo, com US$ 581 bilhões.

Estratégia

A pesquisa foi publicada no lançamento do projeto do governo britânico “Low-Carbon Business Strategy” (Estratégia de Negócios de Baixas Emissões), que tem o objetivo de guiar os esforços do país para tirar vantagem das oportunidades apresentadas pelas tecnologias baixas emissões e outras indústrias ambientais.

Em seu discurso no lançamento do projeto, o Secretário de Comércio do Reino Unido, Peter Madelson definiu a importância da iniciativa. “A indústria de baixas emissões não deveria ser um setor da economia, mas sim toda a nossa economia. O potencial do mercado global é imenso”.

O “Low-Carbon Business Strategy” visa incentivar quatro áreas fundamentais: eficiência energética; infra-estrutura para um futuro de baixas emissões; desenvolvimento e produção de veículos verdes; e tornar o Reino Unido um local atraente para investimentos e negócios de baixas emissões.

Para especialistas, o potencial britânico para se tornar um grande centro do pensamento das mudanças climáticas é muito promissor. Atualmente 30% de todos os investimentos em energia limpa da Europa são feitos no país.

“Infra-estrutura, laboratórios e mão-de-obra qualificada o Reino Unido já possui. Com o incremento da vontade política, parece natural que o país se torne um dos principais endereços para o investimento em novas tecnologias de baixas emissões”, conclui o presidente do St David`s Eco City Group, Andy Middleton.  
Tópicos:
  



Comentários