Bolsas Bitec unem universidades à empresas

Foto: Divulgação

O Sebrae em São Paulo e a Federação das Indústrias do Estado Fiesp estão desenvolvendo, em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Sebrae Nacional e CNPq, o Programa de Iniciação Científica e Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas – Bolsas Bitec 2009, que tem por objetivo transferir conhecimentos gerados nas instituições de ensino superior para o setor produtivo.

A partir de necessidades identificadas nas micro e pequenas empresas participantes do programa, alunos de graduação selecionados e orientados por um professor buscarão soluções que possibilitem o desenvolvimento tecnológico e ampliem a produtividade da empresa. O prazo de inscrição vai até 2 de março de 2009.

Podem participar do programa estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação ou superior técnico; professores universitários orientadores, vinculados aos mesmos departamentos dos estudantes selecionados, que deverão montar, com os empresários, os planos de trabalho e supervisionar a atuação dos bolsistas na execução dos projetos; micro e pequenas empresas dos setores da indústria, do comércio ou de serviços inseridas em Arranjos Produtivos Locais (APL); associações, sindicatos ou cooperativas que representem pequenas empresas; e empresas incubadas de base tecnológica.

Durante seis meses, os bolsistas devem realizar pesquisas, diagnósticos, mapeamento e testes, confeccionar ou aperfeiçoar protótipos e softwares, elaborar projetos, relatórios, cartilhas e manuais que concretizem os objetivos do plano de trabalho proposto.

Serão oferecidas 600 bolsas por edição em todo o País, com o valor de R$ 300 mensais, a cada estudante. As empresas que tiverem os projetos contemplados passam a ser parceiras do programa e comprometem-se a oferecer R$ 50 mensais, que serão aplicados na orientação didático-pedagógica realizada pelo professor orientador. Cada empresa poderá beneficiar-se de apenas um projeto por edição.

As empresas interessadas deverão desenvolver seus projetos dentro dos seguintes temas: Inovação, Gestão, Tecnologia e Empreendedorismo por um período de seis meses, de acordo com o Plano de Trabalho a ser estabelecido entre as partes.

Ao término do programa, deverão ser produzidos relatórios dos resultados alcançados, sob forma de pesquisa, diagnóstico, mapeamento, teste, protótipo, software ou manual, de acordo com os objetivos estabelecidos e acordados no Plano de Trabalho.

“O programa possibilita a aproximação entre o conhecimento gerado na academia e a demanda tecnológica das empresas, incentivando a interação entre esses dois mundos no cotidiano empresarial. Por meio da pesquisa e da experimentação, as pequenas empresas têm condições de ousar e inovar”, explica o consultor do Sebrae/SP Paulo Sérgio Franzosi.

No portal www.sebraesp.com.br, seção Melhorando sua Empresa, item Bolsas Técnicas, é possível obter mais informações e preencher o formulário de adesão.



Comentários