Influência do fluido de corte e da classe do metal no torneamento do aço

Projeto de iniciação científica apoiado pelo Instituto Fábrica do Milênio

Foto: Divulgação

Germano Sonhez Simon Filho, que cursa engenharia mecânica na Unicamp, coordenado pelo professor Anselmo Diniz, realizou um trabalho de iniciação científica sobre a Influência da Aplicação de Fluido de Corte sob Pressão e da Classe do Metal no Torneamento Interno do Aço ABNT 52100. 2008.

Veja abaixo o resumo do projeto:

O processo de torneamento interno é muito utilizado na fabricação de grande variedade de peças em diferentes materiais na industria atual. Neste processo, devido ao efeito de balanço do porta-ferramenta, os níveis de vibração aumentam, enquanto a eliminação do cavaco da região de corte e a capacidade de refrigeração do fluido de corte diminuem. O aço ABNT 8620, utilizado nos testes, apresenta grande aplicabilidade devido ao seu potencial em receber tratamentos térmicos, como cementação e carbo-nitretação, sendo utilizado na produção de engrenagens, anéis de rolamento e outras peças automotivas.

Nos ensaios, foram utilizadas duas sub-classes de ferramenta de metal duro, uma com maior dureza (P15) e outra com maior tenacidade (P25), e dois modos de aplicação de fluido de corte, convencional e sob alta pressão. A classe P15 apresentou uma vida de ferramenta maior que a P25 e a rugosidade média na superfície usinada manteve-se próxima para ambas as ferramentas. Com a aplicação de fluido de corte sob pressão, a vida da ferramenta aumentou consideravelmente e modificaram-se os mecanismos de desgaste. A formação de entalhe, antes comum com a aplicação de fluido de corte convencional, passou a ser praticamente nula e a taxa de crescimento do desgaste de flanco foi reduzida, o que demonstrou a vantagem da aplicação de fluido de corte sob pressão no processo de torneamento interno.

Tópicos:



Comentários