Pesquisadores querem prevenir catástrofes naturais

Foto: Divulgação

O Governo do Estado de Santa Catarina criou um Grupo Técnico Científico (GTC) para identificar as causas dos desastres ambientais em no estado e propor medidas preventivas que orientem políticas públicas com conhecimentos resultantes de pesquisas. Ele será lançado dia 17 de dezembro em Blumenau, mas desde já estão previstas ações que previnam não só inundações, deslizamentos e enxurradas, mas também secas, ciclones, tornados, furacões e problemas decorrentes de mudanças climáticas.

"Esse grupo técnico-científico olha para o futuro. Vai avaliar as causas das recentes catástrofes naturais e tentar se antecipar às próximas, que inevitavelmente virão. Vamos ter de aprender
a conviver com fenômenos climáticos", diz Antônio Diomário de Queiroz, presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc).

Ele é o coordenador geral do GTC que, nas suas palavras, “vai articular competências a nível nacional e internacional, porque você não consegue nada isoladamente”. Já confirmados no grupo estão representantes da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), Universidade da Região de Joinville (Univille), Universidade Regional de Blumenau (Furb), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Universidade do Vale do Itajaí (Univali). A coordenação técnica do GTC caberá a Hugo José Braga, da Epagri/Ciram, e a Zenório Piana, diretor de Pesquisa Agropecuária e Meio Ambiente da Fapesc.

Pesquisadores americanos e alemães vêm trabalhando como voluntários em estudos sobre o clima na região sul do Brasil, e organismos como o Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe), o Instituto Aeroespacial Brasileiro e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) estão sendo contatados para ajudar nas pesquisas.

Reação oficializada

O governador Luiz Henrique reforçou a necessidade de se preparar, na medida do possível, para as catástrofes naturais tanto prejudicam o estado. Para tanto, anunciou o lançamento do GTC como um subgrupo do Grupo de Reação criado na semana passada pelo decreto nº 1.940. Entre as ações programadas estão melhorar o monitoramento das condições meteorológicas, o planejamento no uso do solo em ambientes urbanos e rurais, a elaboração de planos de emergência para desastres naturais.

“Por exemplo, Santa Catarina não tem radar meteorológico. Se tivesse, ele ampliaria a capacidade de previsão do tempo, o que ajudaria e muito a Defesa Civil”, conclui Diomário.

Composição do Grupo Técnico Científico:

Coordenação Geral – Prof. Antônio Diomário de Queiroz (FAPESC)
Coordenação técnica – Hugo José Braga (EPAGRI/CIRAM) e Prof. Zenório Piana (FAPESC)
EPAGRI - Hugo José Braga e Sérgio Zampieri
SDS – Prof. Paulo Luna
UFSC – Prof. Edson Ramos Tomazzoli e Prof . Luiz Fernando Scheibe
UNISUL – Prof. Regina Davison Dias e Prof. Raquel Magnago
UNIVILLE – Prof. Therezinha Novais de Oliveira e Prof. Alessandro Barbosa
FURB – Prof. Marcelo Vitorino e Prof. Dr.Clodoaldo Machado
UDESC – Prof. Edgar Odebrecht e Prof. Maria Paula Casagrande Marinon 




Comentários