CSN conclui venda de parte da Namisa a consórcio

Fonte: InvestNews - 22/10/08

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou ao mercado que concluiu hoje as negociações e assinou os principais contratos referentes à venda de 40% de sua subsidiária Nacional Minérios (Namisa) ao consórcio formado pelas companhias Itochu, Nippon Steel, JFE Steel, Posco, Sumitomo Metal Industries, Kobe Steel e Nisshin Steel.

O valor da transação será de US$ 3,12 bilhões, a serem pagos à vista, na data da liquidação financeira da transação. As partes esperam efetuar o closing (etapa final da transação) até o final do mês de novembro. Deste valor, aproximadamente US$ 3 bilhões serão utilizados pelo consórcio para adquirir novas ações da Namisa, a serem emitidas em uma emissão primária de capital.

A Namisa pagará, aproximadamente, US$ 3 bilhões à CSN na data do closing, como pré-pagamento de parte dos valores pactuados para os contratos de venda de minério de ferro bruto e prestação de serviços portuários, ora existentes entre CSN e Namisa. O minério bruto será extraído pela CSN da Mina de Casa de Pedra e vendido à Namisa, que o beneficiará em suas próprias instalações industriais, em adição ao seu próprio minério.

A CSN manterá 60% do capital total da Namisa, visando ao alinhamento do interesse das partes no projeto. Como parte do negócio, a CSN venderá à Namisa ações preferenciais não conversíveis, classe A, da MRS. Estas ações correspondem a aproximadamente 10% do capital social da MRS.

O "business plan" da Namisa prevê uma agressiva estratégia de expansão na produção de minério de ferro e de pelotas. A Namisa comercializará prioritariamente minério de sua própria produção, mas também negociará o metal adquirido de terceiros como complementação às suas atividades. Uma parte da produção da Namisa será dedicada a atender as necessidades dos produtores siderúrgicos do consórcio. Estas obrigações estarão refletidas num contrato de 'offtake' (fornecimento) de longo prazo.

A Namisa estima vendas aproximadas de 18 milhões de toneladas de minério de ferro para 2009 e um plano de expansão de produção estimado através do qual a Namisa comercializaria 38 milhões de toneladas a partir de 2013.

Por fim, a CSN esclareceu, no comunicado, que a transação não contempla a aquisição de participação na mina Casa de Pedra pelo consórcio.
Tópicos:
     



Comentários