Crescimento do setor traz boas perspectivas para Yaskawa

Fonte: Assessoria de Imprensa da Yaskawa - 07/10/08

Os grandes investimentos que vêm sendo feitos pelas indústrias do setor de siderurgia na ampliação de suas capacidades produtivas e na otimização dos processos, aliados à necessidade dessas empresas de reduzir o consumo de energia elétrica são alguns dos fatores que poderão abrir boas oportunidades para a Yaskawa Elétrico do Brasil, especializada em soluções de automação industrial. A empresa espera participar de várias iniciativas que estão em curso através do fornecimento de dispositivos de acionamento e comando tanto para novas máquinas empregadas nesse segmento, como para reforma e modernização de equipamentos, especialmente pontes rolantes.

José Luiz Rubinato, diretor geral da Yaskawa, diz que a empresa participou de projetos de retrofitting (reforma de máquinas) em siderúrgicas que resultaram em reduções superiores a 40% no consumo de energia elétrica, no aumento do desempenho das máquinas, assim como na sua confiabilidade e vida útil. O executivo cita como exemplo a reforma que a empresa realizou no final de 2006 na ponte rolante PR004 da ArcelorMittal Juiz de Fora (MG). O trabalho fez parte do projeto da siderúrgica, batizado de Carga Líquida, cujo objetivo era modificar todo o processo produtivo da aciaria que até então trabalhava apenas com sucata e gusa sólido (em forma de blocos) e que passou a utilizar gusa líquido proveniente do alto-forno inaugurado na ocasião.

A idéia era que com a utilização de gusa, que é um produto intermediário  entre o ferro líquido e o aço, a performance e produção da aciaria seria melhorada, devido à diminuição do tempo de processo e, conseqüentemente, do aumento da produção de aço. Gilson Fernandes Paticcié, analista senior de manutenção da ArcelorMittal Juiz de Fora, destaca que hoje essa ponte rolante de carregamento do forno elétrico transporta, em média, 30 vezes por dia o gusa líquido e o adiciona ao forno elétrico para a produção final de aço. Segundo Gilson, os dispositivos da Yaskawa deram à empresa a tranqüilidade de que as operações, principalmente as de elevação de 130 toneladas e de 20 toneladas de gusa líquido, seriam extremamente seguras e sem falhas.

O analista diz ainda que a reforma propiciou economia superior a 40% no consumo de energia elétrica. A redução foi comprovada por um estudo realizado pela empresa Power Factor Consultoria Energética que  comparou o consumo de energia da ponte - referente a um período de quatro  dias consecutivos (24h00 por dia) antes da reforma - com o mesmo período  depois da modernização. Em ambos, os equipamentos estavam à plena carga e o  laudo demonstrou que em um ano o consumo de energia, que até então era de 485 mil kWh, caiu para 279 mil kWh, equivalendo a uma redução da ordem de  42,5%.

Em uma analogia, Mário Sergio Di Grazia, diretor técnico da Yaskawa, diz que os 206 mil kWh economizados pela ArcelorMittal poderam fornecer energia elétrica para 100 residências populares, com quatro moradores em cada, durante um ano.

Reforma da máquina

Para otimizar a PR004, que estava em operação na siderúrgica desde 1984, a Yaskawa empregou um sistema de acionamento de última geração que inclui conversores regenerativos active-front-end da série DC5-HHP, em conjunto com os inversores de freqüência de controle a 3 níveis da série G7. O projeto incluiu a instalação de 6 módulos de conversores regenerativos da série DC5-HHP, totalizando 1200kW. Na prática eles garantem que toda a energia regenerada das cargas de 130 e 20 toneladas (quando ocorrer a descida da carga) seja devolvida à rede de alimentação com níveis de distorção harmônica, em conformidade com a IEEE519/92, e fator de potência unitário,
garantindo a melhor qualidade de energia. Os novos módulos substituíram o sistema que estava instalado na empresa e que utilizava resistores do circuito rotórico e um regulador de tensão, os quais descartavam toda a energia excedente em forma de calor.

Para o acionamento e o sincronismo dos dois motores de 330cv ligados em série  a Yaskawa instalou o inversor de freqüência da série G7. Trata-se do primeiro inversor de baixa tensão do mercado que utiliza a tecnologia de 3 níveis, o que propicia alta performance em resposta dinâmica, redução drástica dos surtos de tensão, correntes de modo comum e correntes parasitas de rolamento nos motores,  e ainda assegura a maior vida útil dos motores elétricos (os motores poderão ser de uso geral e não necessariamente inverter-duty). Na Arcelor Mittal foram instalados 4 inversores de freqüência da série G7, sendo três deles de 400HP na elevação principal e reserva, e um de 250HP na elevação auxiliar.

A Yaskawa também forneceu uma sala elétrica completa, montada com sistema de ar-condicionado industrial, para abrigar os equipamentos na aciaria e protegê-los contra as altas temperaturas e a exposição às chamas, comuns nesse tipo de ambiente.

Sobre a Yaskawa

A Yaskawa Elétrico do Brasil, localizada na cidade de São Paulo, iniciou suas atividades em 1974. Subsidiária da japonesa Yaskawa Eletric Corporation (YEC), a empresa disponibiliza no país os produtos de toda linha Yaskawa, além de sistemas de engenharia, participando desde a concepção e detalhamento até a sua posterior colocação no cliente. A Yaskawa Brasil atua nos mais diversos segmentos de mercado, tais como: siderurgia, papel e celulose, química e petroquímica, cimento e mineração, máquinas e bens de capital. Sua atuação se estende em quase toda a América Latina, comparecendo como uma das líderes em países como Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai.

No Japão a Yaskawa Eletric Corporation (YEC) foi fundada em 1915 na cidade de Fukuoka, contando atualmente com uma rede mundial distribuída em mais de 40 países. A YEC é líder em tecnologia e é a maior fabricante de Servo Acionamentos, Inversores de Freqüência, Controladores de Máquinas e Robótica.

Maiores informações pelo site www.yaskawa.com.br.

Saiba mais sobre a Yaskawa no portal CIMM. Clique aqui

Sobre a ArcelorMittal

A ArcelorMittal Juiz de Fora é considerada a melhor companhia siderúrgica das Américas em produtividade de aços longos e em custos. A empresa pertence ao Grupo ArcelorMittal , que atualmente é o maior da área siderúrgica no mundo, com capacidade de produzir 135 milhões de toneladas de aço por ano. Com aproximadamente 320 mil empregados em 61 localidades e unidades industriais em 27 países, a empresa agrupa os dois maiores produtores mundiais de aço: Arcelor e Mittal Steel, detendo a liderança em todos os principais mercados mundiais de aço, incluindo o automobilístico, construção, eletrodomésticos e embalagens. Suas instalações industriais localizam-se na Europa, Ásia, África e Américas, o que permite a presença em todos os mercados chave de aço, tanto em economias desenvolvidas como em áreas emergentes.

No Brasil, a ArcelorMittal controla a ArcelorMittal Brasil, empresa formada a partir da união dos ativos da ArcelorMittal Aços Longos, da ArcelorMittal Tubarão e da ArcelorMittal Vega, além de ser o acionista controlador da Acesita.
Tópicos:



Comentários