Gerdau investe US$1,4 bilhão para fortalecer presença no Peru

Fonte: Site Gazeta Mercantil - 02/09/08

O grupo Gerdau anunciou ontem que vai investir US$ 1,4 bilhão para transformar a controlada Empresa Siderúrgica del Perú Siderperú em uma das maiores siderúrgicas da América do Sul. A usina, localizada na cidade peruana de Chimbote, tem hoje uma capacidade instalada de 450 mil toneladas por ano e vai passar a ter potencial para produzir até 3 milhões de toneladas até 2013. Em uma fase intermediária, até 2011, chegará a 1,5 milhão de toneladas.

O analista de siderurgia da Corretora Geração Futuro, Carlos Kochenborger, avalia que a ampliação em seis vezes da Siderperú elevará mesmo a usina à condição de uma das maiores siderúrgicas da América do Sul, atrás apenas das usinas brasileiras e da Sidor, na Venezuela, em processo de nacionalização pelo governo Chávez. Para ele, a estratégia da Gerdau é se fortalecer em um mercado em crescimento e fortemente importador. "No Peru hoje 50% do aço é importado. Nos aços planos chega a 90% e nos longos a 30%. A própria Gerdau exporta para lá", diz o analista, acrescentando que, da produção atual da usina peruana, 20% é aço plano e o restante de longos. Ele observa que a Gerdau não detalhou a expansão em cada tipo de aço.
"O Peru tem adotado um viés de crescimento semelhante ao do Chile, com economia aberta, e tem importantes investimentos em infra-estrutura. Vem crescendo a taxas elevadas, uma das maiores da América Latina nos últimos anos", analisa Kochenborger.

Exportação

Segundo ele, a Siderperú atende hoje apenas o mercado interno. Conforme comunicado da Gerdau, a expansão permitirá exportações, principalmente para os vizinhos andinos. De acordo com a empresa, a usina passará a ser líder em planos e longos no Peru. "O Peru é um país estratégico para a Gerdau, por ser um mercado com grande potencial e com grandes possibilidades de desenvolvimento. Este projeto consolidará o crescimento da Gerdau no setor siderúrgico sul-americano", afirmou o diretor presidente do grupo, André Gerdau Johannpeter, em nota divulgada pela empresa. O investimento foi oficializado em um encontro com o presidente do Peru, Alan Garcia.

Modernização

A Gerdau já estava investindo na modernização da Siderperú, desde a aquisição da companhia, há dois anos. A empresa tinha em andamento um aporte programado de US$ 122 milhões. Do total destes recursos, aproximadamente US$ 40 milhões foram alocados em novos equipamentos para a proteção do ar, água e solo. Conforme estimativas da Gerdau, o investimento na ampliação da Siderperú irá gerar cerca de 2 mil novos empregos diretos e outros seis mil indiretos pela dinamização que o projeto permitirá à economia da região de Chimbote, localizada ao norte de Lima. Somente na construção serão gerados outros quatro mil postos.

O grupo Gerdau comprou 50% do capital mais uma ação da Siderperú em 2006, por US$ 60,6 milhões. A aquisição, realizada para fortalecer a presença do conglomerado brasileiro no continente, foi feita por meio de leilão público na Bolsa de Valores de Lima. O controle da empresa, maior usina local, pertencia ao governo peruano, que na época empreendia um programa de privatizações. Quando fechou o negócio, a Gerdau se comprometeu a investir US$ 100 milhões na operação nos cinco anos seguintes. A Siderperú tinha ainda o equivalente a US$ 102 milhões em dívidas.
Tópicos:



Comentários