Pequenas e médias empresas captam 41% mais no Bndes


Apesar do desempenho negativo no faturamento do semestre apontado pelo Sebrae, as indústrias de micro, pequeno e médio porte aumentaram em 41% os desembolsos no Bndes (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no primeiro semestre do ano comparado com o mesmo período do ano passado. O volume liberado pelo banco para o setor de janeiro a junho atingiu R$ 1,379 bilhão.

"Temos observado um movimento bastante intenso de aquisição de máquinas novas para indústrias de todos os setores pelo Finame, que atinge também as pequenas e médias," diz o chefe do Departamento de Financiamento de Máquinas e Equipamentos do Bndes, William Saab.

A Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) confirma que a procura por máquinas cresceu, o que impulsionou um aumento de 25% no faturamento do primeiro semestre. Segundo o diretor-executivo de Tecnologia e Estatística da Abimaq, João Alfredo Delgado, não há dados para mapear o porte das indústrias compradoras.

No entanto, ele afirma que possivelmente as micro e pequenas indústrias se beneficiem da aquisição de máquinas pelas grandes indústrias com a venda de equipamentos usados.

O proprietário da empresa de leilão de máquinas Superbid, Paulo Scaff, disse que a demanda por aquisição de equipamentos cresceu 35% no primeiro semestre. Segundo ele, os principais vendedores que procuram os leilões são grandes empresas, que renovam seus maquinários e os revendem para micro, pequenas e médias indústrias.

Ele cita o exemplo de uma venda de 331 equipamentos da Braskem na semana passada para 263 compradores. "É uma gigante vendendo ativos que não servem mais para ela para outras 263."
Tópicos:
  



Comentários