Abimei pede mais prazo para financiar maquinário


Se o volume de crédito e o prazo dos financiamentos têm favorecido a indústria automobilística, o mesmo não pode dizer os importadores de máquinas e equipamentos industriais, de acordo com a Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais (Abimei).

"São, muitas vezes equipamentos caros e que o industrial brasileiro consegue, no máximo, 36 meses para pagar", afirma Daniel Dias de Carvalho, diretor da associação. "O mercado coloca coisas do tipo 'carro dá para financiar porque qualquer coisa a gente recupera o bem'. Mas, isto é um pouco relativo. A máquina também é recuperável. Só que isto não é uma cultura. Acredito que os 60 meses que hoje o carro tem seria um financiamento mais razoável", completa.

Para Thomas Lee, presidente da Abimei, uma das dificuldades sobre os bancos estarem dispostos a financiar máquinas é o fato de que "os juízes brasileiros são muito protetores das empresas pequenas". "Vamos considerar a venda de uma máquina para uma empresa pequena que, por acaso, não consegue quitar a sua dívida. Se nós tentarmos judicialmente retomar a máquina, o juiz vai aceitar o argumento da empresa de que se alguém lhe tomar a máquina, esta empresa vai quebrar. Com isto, o juiz não deixa retomar a máquina", diz.

"Neste cenário, muitos bancos ficam com medo de financiar este bem, pois ele não serve como garantia absoluta do empréstimo", completa. Segundo Lee, este tipo de atitude é muito comum, principalmente, nas regiões Sul e Nordeste do Brasil.
Tópicos:



Comentários