Sandvik no Brasil cresce 29% em 2007 com faturamento de R$ 1 bilhão


O Grupo Sandvik no Brasil, líder mundial nos segmentos em que atua, fechou o ano de 2007 com um faturamento de R$ 1 bilhão, o que representa um crescimento de 29% em relação ao ano de 2006, quando a empresa fechou com R$ 780 milhões.

O resultado é ainda mais representativo para a empresa em seu cenário global. O crescimento de 29% no faturamento registrado no ano passado foi o segundo maior entre todas as filias da empresa espalhadas pelo mundo, sendo superado apenas pela África do Sul, que cresceu 35%, saltando de R$ 785 milhões em 2006, para R$ 1 bilhão, porém ficando à frente da própria sede da companhia na Suécia, que cresceu 22% no mesmo período, de R$ 1,2 bilhão para R$ 1, 5 bilhão.

Com este resultado, o Grupo Sandvik no Brasil passou a integrar o ranking das 10 mais importantes subsidiárias do grupo do mundo, ocupando a nona colocação pela primeira vez em sua história. "Realmente é um marco para empresa, que vem ganhando representatividade e reforçando a importância do mercado latino-americano nos negócios globais da Sandvik", comemora Luiz Manetti, Managing Director e Country Manager no Brasil.

Para 2008, o objetivo da empresa é manter o ritmo de crescimento no mercado nacional e aumentar ainda mais sua representatividade. "A expectativa é manter o ritmo de crescimento, aproveitando o bom momento econômico do país. Com isso, podemos estar entre os cinco mercados mais importantes para a empresa no mundo", completa.

Crescimento de 19% no mundo

Empurrado pelos bons resultados de suas filiais espalhadas por mais de 130 países, o Grupo Sandvik cresceu 19% em 2007, saltando de um faturamento de R$ 21, 7 bilhões em 2006, para R$ 25,9 bilhões em 2007.

No que diz respeito a entrada de pedidos, a empresa registrou um total de R$ 27,6 bilhões em 2007, o que representou um crescimento de 18% em relação a 2006, quando registrou R$ 23,3 bilhões. A companhia também registrou um aumento no lucro líquido de 17% no mesmo período, saltando de R$ 3,3 bilhões para R$ 3,9 bilhões



Saiba mais sobre:
Sandvik no portal CIMM.
Tópicos:
  



Comentários