Veja a entrevista com o especialista em moldes e matrizes da Iscar

Fotos: Iscar

Confiante nas possibilidades de expansão do mercado brasileiro, Rafi Rabuach, gerente da Iscar especializado em Die & Mold Industry, visitou o país na semana passada. Em entrevista exclusiva ao portal CIMM, Rabuach comenta sobre economia, mercado e desenvolvimento do Brasil.

Rabuach fez questão de demonstrar a estratégia da companhia no setor de usinagem, sobretudo no que se refere às novidades que resultam na redução de tempo e custos do processo.

Ele destaca as tecnologias atualmente empregadas para dar maior velocidade à fabricação de um molde, como por exemplo as linhas de desbaste em altos avanços, capazes de diminuir em até três vezes o tempo.

Dando suporte a todo este know-how indica uma série de diferenciais, como geometrias, pastilhas com o dobro de arestas, maior robustez da porta-ferramentas e garantia de funcionabilidade dos processos.

Confira a entrevista exclusiva cedida ao Portal CIMM:

CIMM - A economia brasileira está aquecida, isso favorece investimentos externos para o Brasil?

Rafi Rabuach - A qualidade do mercado brasileiro é excelente pelo que pude ver nesta semana. Há muitas possibilidades que devem ser exploradas devidamente. O mercado brasileiro pode produzir moldes não somente para o Brasil, mas sim, buscar a entrada no mercado exterior, como Europa e Estados Unidos. O Brasil pode ser tal como a China e exportar muito mais os seus produtos, há bastante potencial para isso.

Da mesma forma que o país importa e entende que produtos europeus são de excelente qualidade, como do setor automotivo, aqui também deve existir este pensamento e começar a exportar mais para os mercados estrangeiros. Focar-se somente no mercado brasileiro, significa ficar estagnado.

CIMM - Como a Iscar pretende expandir ainda mais com produtos no mercado brasileiro?

Rafi Rabuach - A Iscar desenvolveu novas tecnologias este ano e cada cliente, tem uma particularidade diferente. Dentre estes novos produtos, por exemplo, temos a tecnologia High-Tech.

Entre eles, a Up Seed, que trabalha 10 vezes mais rápido que as ferramentas tradicionais e com a vantagem econômica de ter o dobro de arestas e cortes. Outra linha de alta tecnologia é a ChatterFree usada para trabalhar com grandes profundidades de corte, reduzindo o tempo de usinagem. E várias outras.

ChaterFree maximiza a taxa de remoção de material e reduze o tempo de ciclo na maioria das operações de fresamento

CIMM - O mercado brasileiro versus estrangeiro: uma diferença que pode se igualar

Rafi Rabuach - O mercado brasileiro ainda é diferente, como o europeu, o japonês e o americano também são. Desde a minha última visita, há 5 anos, o Brasil evoluiu muito. Fiquei muito feliz com a evolução do país em termos de qualidade e pensando no centro de produção. Acredito que em alguns anos o Brasil estará no mesmo nível do mercado europeu.

Saiba mais sobre a Iscar aqui no Portal CIMM.
Tópicos:
  



Comentários