John Deere inaugura planta no sul do país com pedidos até julho


Com um investimento de US$ 220 milhões, a John Deere inaugura hoje (15) sua nova fábrica, localizada na cidade de Montenegro, no Rio Grande do Sul (RS), com a carteira de pedidos lotada até o próximo mês de julho. A unidade, que possui uma capacidade de produção de 15 mil tratores por ano, inicia as atividades operando em dois turnos em um total de 750 funcionários, com 400 deles trabalhando direto na fábrica.

O investimento na expansão da capacidade de produção da companhia mobilizou ainda US$ 30 milhões destinados a mudanças na fábrica de Horizontina (RS) que teve sua produção de tratores transferida para Montenegro e irá se concentrar na ampliação da sua linha de produção de colheitadeiras de grãos e plantadeiras.

Com 70 mil m², a unidade de Montenegro é a terceira fábrica da John Deere no Brasil. Além da planta de Horizontina, a empresa possui uma unidade em Catalão, no estado de Goiás, que produz colhedoras de cana-de-açúcar. De acordo com Edison Drescher, gerente de fábrica da John Deere Brasil, essas unidades também estão com entrega de produtos prevista até o segundo semestre.

A nova planta terá como diferencial a flexibilidade na linha de montagem, que permite alterações para atender com maior rapidez os pedidos. Os modelos produzidos no Brasil serão idênticos aos produzidos nas três principais fábricas da companhia, localizadas nos Estados Unidos e Alemanha.

De acordo com a companhia, a escolha do Brasil como sede da nova fábrica de tratores é fruto da confiança do crescimento do país na lista dos maiores fornecedores do mundo.

A fábrica inicia suas operações utilizando cerca de 60% da capacidade instalada, mas os executivos da empresa já falam em expansão. "Atualmente podemos produzir 40 tratores por dia, mas vamos aumentar a produção à medida que o mercado for demandando. Podemos chegar, no futuro, a ampliar essa produção para 60, 70 tratores por dia", afirmou Drescher. "Quando estiver operando na sua total capacidade, o número de funcionários deve aumentar algo em torno de 20%", ressalta.

Única planta da empresa na América do Sul produzindo tratores, a nova unidade, além de atender a aquecida demanda interna, deverá atuar também como pólo de exportação na região que hoje representa 90% das exportações da fábrica. No total, a participação das vendas externas na comercialização desses tratores é de 48%. Os motores utilizados nos tratores fabricados no Brasil são produzidos na Argentina.
Tópicos:



Comentários