Paraná realizará o mais importante encontro das Américas sobre águas


O Paraná sediará nos dias 24 e 25 de novembro, em Foz do Iguaçu, o Fórum das Américas - encontro preparatório ao Fórum Mundial da Água, marcado para março de 2009, em Istambul, Turquia. O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), órgão responsável pela coordenação do evento no Brasil, José Machado, esteve em Curitiba nesta segunda-feira (12), para convidar o governador Roberto Requião e o vice-governador, Orlando Pessuti a participarem do Fórum.

O presidente da Itaipu Binacional, Jorge Samek e o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues também estiveram presentes no encontro. A Itaipu já se prontificou a apoiar a organização do Fórum.“A nossa expectativa é muito grande em relação ao sucesso deste evento. O Paraná já vem trabalhando em parceria com a ANA na implementação da política nacional de recursos hídricos, com a criação dos Comitês de Bacias Hidrográficas, e de ações que visam a preservação dos mananciais e da natureza do nosso Estado”, afirmou o governador Roberto Requião.

Quando o governador fala sobre a questão ambiental no Paraná não refere-se apenas as ações de caráter imediato, ele enfatiza, sobretudo as medidas que têm a finalidade de garantir os recursos naturais para as próximas gerações. “O nosso governo é um governo verde”, reforça. “Não podemos permitir a continuidade de ações predatórias. É preciso que esta consciência se transforme em uma política séria de contenção da devastação”, afirmou.

Fórum

O Fórum das Américas reunirá ministros, técnicos e especialistas em recursos hídricos da América do Norte, América Central, América do Sul e Caribe com o objetivo de discutir e elaborar um documento representativo das Américas, que será apresentado em Istambul, no próximo ano.

A idéia é debater os avanços na área dos recursos hídricos nos últimos dez anos e as perspectivas para a próxima década. Alguns assuntos terão destaque como, por exemplo, o impacto dos biocombustíveis na gestão das águas. “Temos condições de fazer um bom evento técnico e político, reunindo especialistas e chefes de Estado de vários países das Américas e queremos contar com o apoio do Governo do Paraná nas discussões de políticas públicas no Brasil e no mundo”, declarou Machado.

Propostas

O presidente da ANA lembrou que o Paraná e o Brasil possuem experiências de gestão de águas muito interessantes - implementadas nos últimos anos - e que podem ser apresentadas no Fórum. “Precisamos confrontar as nossas experiências com as experiências de outros países, a fim de elaborarmos um documento representativo das Américas e com forte influência no Fórum Mundial, em 2009”, reforçou José Machado.

Ele ainda disse que o Paraná está no caminho certo da gestão dos recursos hídricos. “Está buscando a implementação da cobrança pelo uso da água e a instalação dos comitês de bacias. Achamos que este é o melhor caminho é o que prevê a legislação e vamos fortalecer esta política”, finalizou Machado.

Para o secretário do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues, o Fórum das Américas será um importante espaço de discussão para a apresentação de reivindicações e êxitos na gestão dos recursos hídricos. “O Paraná tem uma política acertada e também conhecida no Brasil pela consolidação dos Comitês de Bacias, em processo descentralizado e participativo. Ou seja, a transferência da responsabilidade hoje apenas do Estado, em cumplicidade com usuários e setores organizados”, definiu Rasca.

Fórum Mundial

O V Fórum Mundial da Água, que ocorrerá em março de 2009, tem como slogan Superando os Divisores de Água e terá como tema geral a adaptação da gestão da água face às mudanças globais, incluindo as mudanças climáticas.

Foram definidos seis eixos que nortearão as 100 sessões de discussão previstas para o evento na Turquia:

⇒ Mudanças globais e gestão de riscos (mitigação de desastres naturais etc.);
⇒ Desenvolvimento humano e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio;
⇒ Gerenciando e protegendo os recursos hídricos e os sistemas de abastecimento para suprir necessidades humanas e ambientais;
⇒ Governança e gerenciamento (ampliação do direito de acesso à água, por exemplo);
⇒ Mecanismos de financiamento e Educação, conhecimento e capacitação.



Comentários