Projeto caminha rumo ao carro à prova de acidentes


Carros cada vez mais seguros são uma exigência dos consumidores e um objetivo longamente perseguido pela indústria automobilística. Mas será possível fabricar um carro que nunca sofra um acidente?

Segurança dos passageiros

Pesquisadores europeus, reunidos no projeto Prevent, acreditam que um carro virtualmente à prova de acidentes é conceitualmente viável, e que o seu trabalho está lançando as bases para que, mesmo se uma batida for inevitável, os passageiros de um carro possam estar em segurança.

E o projeto não tem nada de modesto - são 56 parceiros, da indústria e da academia, com um orçamento de €$50 milhões. O trabalho foi dividido em 12 sub-projetos, cada um abordando aspectos específicos da segurança nas ruas e estradas.

Os pesquisadores sabem que é impossível acabar com todos os acidentes de automóveis, mas eles acreditam que a tecnologia poderá ajudar a diminuí-los muito e a reduzir os danos quando eles ocorrerem, principalmente os danos físicos aos passageiros.

Navegação automática

Um dos sub-projetos vai integrar informações do GPS a mapas dos locais onde o veículo está trafegando, de forma a identificar áreas de risco - como curvas fechadas, saliências e pontes - e passar as informações para o piloto automático, que poderá restringir a velocidade e até frear o veículo automaticamente.

Outra linha de pesquisa está integrando a comunicação sem fio entre os veículos, para evitar colisões laterais e traseiras, sincronizando as frenagens, impedindo que dois veículos tentem mudar para a mesma faixa ao mesmo tempo e acabando com o "ponto cego" dos carros, uma posição na qual o outro veículo não pode ser visto pelo motorista.

Tecnologia preditivas de colisão


Um passo adiante estão as chamadas tecnologias preditivas de colisão. Ao perceber que uma colisão é inevitável, o sistema tomará o controle e adotará todas as medidas para que os passageiros tenham o menor impacto possível. Segundo os engenheiros, o computador pode tomar as atitudes necessárias muito mais rapidamente do que qualquer motorista.

Isso poderá acontecer, por exemplo, quando um carro desgovernado invade a pista contrária, ou quando um pedestre entra inadvertidamente na pista. O sistema preditivo de colisão entra em ação, acionando os freios, virando a direção e programando os air-bags para se acionarem frações de segundo antes da colisão.

Poder de processamento

Os novos sistemas estão sendo testados a bordo de um BMW 545i e de um caminhão Volvo FH12. Caberá a cada um dos participantes do projeto decidirem quando incorporar os resultados da pesquisa aos seus produtos de linha.

Os algoritmos para tomar as decisões necessárias para a operação do sistema preditivo de colisão, por exemplo, ainda exigem um poder computacional que seria inviável colocar dentro de um automóvel, no nível atual da informática.



Comentários