Cosipa assina contrato de US$ 1 bilhão com Mitsubishi


A Cosipa, subsidiária integral da Usiminas, entra em um novo ciclo de investimentos. Ontem a empresa assinou contrato de US$ 1 bilhão com a Mitsubishi Corporation pelo qual o grupo japonês irá lhe fornecer um novo laminador de tiras a quente (LTQ) para produção de bobinas destinadas às indústrias automotivas de linha branca.

O foco será o mercado doméstico. "O equipamento, previsto para entrar em operação em abril de 2011 permitirá agregar valor às placas hoje exportadas pela Cosipa e colocar a empresa em um novo patamar tecnológico", disse o presidente da Usiminas, Rinaldo Campos Soares.

O executivo afirmou que o investimento no novo LTQ da Cosipa integra o plano de desenvolvimento da Usiminas, que prevê investimentos totais de US$ 9 bilhões para expandir a produção de aço líquido das usinas do grupo em Ipatinga (MG) e Cubatão (SP) em 6,2 milhões de toneladas por ano até 2015.

A Mitsubishi, líder de um consórcio em que também a Hitachi ganhou o contrato de fornecimento do laminador em concorrência internacional, do qual também participaram empresas como a Voest Alpine e Danielli.

Soares disse que o investimento da Cosipa será feito com recursos próprios e financiamento. O Japan Bank of International Corporation, o banco de fomento japonês, deve financiar US$ 550 milhões para o projeto. As obras de instalação do laminador começam em agosto e devem se estender por cerca de 36 meses até o início da operação em 2011.

O LTQ terá capacidade inicial de produção de 2,3 milhões de toneladas de bobinas por ano em uma primeira fase, mas poderá chegar a 4,7 milhões de toneladas por ano.

Mercado

Com o equipamento a Cosipa poderá transformar em laminados cerca de 1 milhão de toneladas de placas que hoje produz e exporta. Segundo Soares, a implantação do equipamento vai criar cerca de 3 mil empregos temporários e após o início da operação devem ser criados mais cerca de 400 novos postos de trabalho.

De forma simultânea a Cosipa está reformando um de seus alto forno - o número um da usina - cujas atividades foram paralisadas em 16 de fevereiro e deverão ser retomadas em cerca de 90 dias.

A empresa investe outros US$ 100 milhões na instalação de uma nova máquina de lingotamento contínuo, que irá substituir um equipamento antigo e aumentar a produção de aço nobre, conhecido como IF (Interstitial Free), cujas aplicações concentram-se nas indústrias automotiva e de eletrodoméstico. Esta terá a capacidade de produzir 1 milhão de toneladas anuais.

Segundo Soares essas reformas e modernizações em curso na Cosipa permitirão que a empresa aumente a sua capacidade de produção em cerca de 500 mil toneladas por ano.

Projetos

Hoje, a companhia tem capacidade de produzir anualmente 4,3 milhões de toneladas de aço. Soares disse ainda que a a Cosipa tem outro projeto dentro da visão do grupo até 2015 que prevê investimentos para produzir mais 3 milhões de toneladas de placas em Cubatão. Na estratégia da empresa, as placas serão laminadas no exterior.

"Com a reforma do alto forno e a nova máquina de lingotamento contínuo somados a outros investimentos, a Cosipa iguala-se à Usiminas na elaboração de produtos de maior valor agregado", afirmou Soares. Atualmente a companhia é mais focada na produção de commodities como placas de aço.

Segundo Soares a visão da empresa até 2015 considera dois movimentos: aumentar a oferta e agregar valor à tecnologia para ocupar espaço em nichos onde os produtos são mais valorizados no mercado. Ele também informou que a mineradora J.Mendes adquirida pela Usiminas começou o fornecimento de minério de ferro para a Cosipa. "Este mês devem ser enviadas 27 mil toneladas de minério da J.Mendes para a Cosipa", finalizou Soares.

A mineradora produz entre 4 a 5 milhões de toneladas por ano, mas há plano de investimentos de elevar a produção para 29 milhões de toneladas em 2013.



Comentários