Emprego: mineradoras contratam como nunca


A geração de empregos é um dos destaques da exposição Isto É Mineração, que o Instituto Brasileiro de Mineração inaugurou na segunda-feira (10/3), no Salão Negro do Congresso Nacional, em Brasília.

O cenário favorável da mineração, devido ao crescente aquecimento do mercado e a necessidade de absorver pessoal qualificado para o trabalho, estão gerando imensa oferta de empregos nesses últimos meses.

Com o mercado extremamente aquecido, foram abertas vagas para diversos tipos de profissionais - e não só técnicos em mineração - tais como operadores, laboratoristas, engenheiros e técnicos de manutenção, soldadores, entre outros.

Só na Samarco Mineração (associada ao Ibram), por exemplo, mais de 400 pessoas foram contratadas desde janeiro de 2007. Agora, em 2008, ainda há mais de 20 vagas disponíveis que podem ser conferidas no site da empresa.

"A toda hora ofertas de emprego são abertas. Isso não quer dizer que só temos mais 20 vagas", alerta Juliana Borges Souto, Gerente de Desenvolvimento de Pessoas da Samarco.

Isso se deve ao projeto de terceira pelotização da empresa de minério de ferro. Outro ponto positivo é que as empresas mineradoras estão contratando trabalhadores de todos os níveis de qualificação, da mão-de-obra não especializada até os que têm curso técnico ou graduação.

De acordo com Juliana Souto, a Samarco oferece cursos de especialização, independentemente do cargo a ser ocupado. A Yamana Gold (associada ao Ibram), empresa com atuação na prospecção e extração de ouro, também está com vagas abertas. Para o processo seletivo de estágio e trainee foram oferecidas 107 vagas.

Com sede em Toronto, no Canadá, a empresa possui unidades na Bahia, Mato Grosso e Goiás. Os interessados devem cursar engenharia, geologia, administração, comércio exterior ou logística, serviço social e ciências contábeis, com conclusão prevista para 2009 ou 2010.

Mais informações sobre as ofertas de vagas também podem ser obtidas no site.

Vale

A Vale também está otimista quanto à contratação de pessoal. Só no Pará, a empresa estima que sejam criadas 35.375 novas vagas, entre 2008 e 2012. Atualmente, 32.691 pessoas trabalham para a mineradora naquela região.

Para atingir a meta está sendo executado um plano de investimento profissional que consiste na qualificação de mão-de-obra dos níveis técnico, operacional e superior.

Nesse sentido, serão oferecidas 300 vagas do Programa de Especialização Profissional 2008 para pessoas formadas nos últimos três anos em Engenharia e Geologia, no Pará, Minas Gerais, Maranhão e Espírito Santo.

Os selecionados receberão bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 3 mil. Para os níveis técnico e operacional serão disponibilizadas 2 mil vagas com bolsa-auxílio de R$ 1,2 mil e R$ 800, respectivamente.

"O aumento dos postos de trabalho é reflexo do crescimento da indústria da mineração e da demanda do mercado externo, especialmente da Ásia. A perspectiva é de um aumento significativo para os próximos cinco anos", afirma João Menezes, Gerente Geral de Recursos Humanos da Vale.

Engenheiros estão em alta no mercado de trabalho


O mercado de trabalho está de portas abertas para os profissionais que atendem as áreas de infra-estrutura, tais como engenheiros, arquitetos, urbanistas, geólogos e técnicos.
 
A economia aquecida e o crescimento da demanda por obras fazem com que esses trabalhadores ganhem o título de "os mais bem pagos" atualmente.

A Confederação Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - Confea estima que faltam 3 mil profissionais especializados somente na área de engenharia. "São formados 23 mil engenheiros por ano. Esse número devia ser três vezes maior para corresponder à necessidade atual", contabiliza Marcos Túlio de Melo, Presidente da entidade.

As áreas em que mais faltam profissionais são: a naval, de petróleo e gás natural, siderúrgica, mineração, construção civil, automotiva e tecnologia de informação. E a realidade é notada tanto no setor privado como no público.

Tópicos:



Comentários