Campanha "Mude o consumo para não mudar o clima"

Foto: Envolverde

O objetivo da campanha é conscientizar o consumidor em relação aos impactos dos seus hábitos de consumo, oferecer alternativas para reduzir as conseqüências destas ações e exigir de empresas e autoridades a elaboração de políticas públicas e ações que promovam a produção e o consumo sustentáveis.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e a organização não-governamental Vitae Civilis lançam, nesta semana, uma campanha nacional que pretende informar o consumidor sobre o quanto seu consumo pode afetar o clima do planeta; sugerir alternativas para que ele mude seus hábitos cotidianos; e ainda cobrar de empresas e autoridades ações efetivas para a mitigação das mudanças climáticas.

Ações de rua

Um computador portátil está, desde segunda-feira (10), em vários locais durante toda a semana, oferecendo ao consumidor a oportunidade de calcular qual é a sua contribuição de emissão de gás carbônico (CO2). Além disso, o programa oferece alternativas para que o consumidor possa diminuir essa emissão, mudando hábitos de consumo e amenizando, assim, as conseqüências para o meio ambiente.

Para a coordenadora da campanha do Idec, Lisa Gunn, essas ações são importantes porque permitem que o consumidor tenha noção exata do quanto cada hábito de consumo pode prejudicar o meio ambiente. "No dia a dia as pessoas podem não ter idéia das conseqüências do transporte que usam, se fazem ou não a separação do lixo e até do gasto de energia do stand-by dos equipamentos em casa, mas, através da campanha, iremos demonstrar exatamente o que isso significa".

O consumidor também recebe um material impresso sobre práticas que ele pode adotar no dia-a-dia para minimizar o impacto dos seus hábitos de consumo.

Programação da semana:

10 e 11/03 – das 11 às 15 horas no Largo São Bento - SP

12, 13 e 14/03 – das 11 às 15 horas na Praça do Patriarca - SP

15/03 – das 11 às 16 horas no Parque Villa Lobos - SP

Lançamento do site

A mesma ferramenta de cálculo está disponível no site http://www.climaeconsumo.org.br. Segundo o pesquisador associado do Vitae Civilis, Delcio Rodrigues, "a calculadora permite ao consumidor ver quais são as emissões de carbono decorrentes dos seus hábitos de consumo e quanto é possível reduzir".

Além disso, diversas informações e dicas para o consumidor sobre a relação entre o consumo e as mudanças climáticas podem ser encontradas no site.

Cartões-postais

A campanha também irá distribuir cartões-postais para que os consumidores enviem ao supermercado que freqüentam. O objetivo é exigir que a carne vendida naquele estabelecimento não venha de fazenda que contribui com o desmatamento.

Segundo o coordenador executivo do Vitae Civilis, Rubens Born, essa ação é importante principalmente porque "as principais fontes de emissão de gases do efeito estufa do Brasil são o desmatamento e as queimadas, que respondem por volta de 70% das emissões nacionais. O principal vetor de desmatamento é a expansão da fronteira agrícola, que, por sua vez, empurra a pecuária para a derrubada de mata nativa".

Abaixo-assinado

As duas organizações também estão promovendo um abaixo-assinado junto aos consumidores para ser enviado ao Governo Federal com o objetivo de cobrar dos órgãos competentes políticas públicas relacionadas às mudanças climáticas e ao consumo. Essa alternativa estará disponível tanto nas ações de rua durante a semana quanto no site da campanha.

Para a coordenadora executiva do Idec, Marilena Lazzarini, "é preciso pressionar o governo brasileiro para que implemente políticas públicas que promovam a mitigação e a adaptação às mudanças climáticas nos diferentes setores, como energia, transporte, florestas, produção agrícola e pecuária".

Vídeo


No começo deste ano, o Idec iniciou a divulgação do tema consumo sustentável através de um vídeo, que já está sendo veiculado voluntariamente em algumas emissoras e sites. O vídeo também está disponível no seguinte link: http://www.idec.org.br/videos/mundo.wmv



Comentários