País ganha centro de estudos avançados de materiais


O complexo instalado no campus do LNLS contará com infra-estrutura tecnológica de última geração para pesquisa de nanotecnologia e nanociência

A indústria nacional e as comunidades científicas brasileira e internacional passam a contar com uma das mais avançada unidades de pesquisa na área de ciência, tecnologia e inovação.

Trata-se do Centro de Nanociência e Nanotecnologia Cesar Lattes, que será inaugurado na terça-feira, dia 4 de março, às 12h, no campus do LNLS - Laboratório Nacional de Luz Síncrotron -, instituição de pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia, em Campinas (SP). A solenidade terá as presenças do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende.

O novo centro é o resultado da evolução de um programa de pesquisa em micro e nanotecnologia que vem se consolidando no LNLS desde 99. O complexo multiusuário, portanto aberto à comunidade científica e tecnológica brasileira e do mundo inteiro, vai reunir, em um mesmo ambiente, um conjunto de laboratórios dedicados aos estudos para investigar e propriedades em nível atômico e molecular das matérias.

As instalações funcionarão de forma integrada com as estações experimentais da fonte de luz síncrotron, um acelerador de partículas que produz luz de alta intensidade e brilho, desde o infra-vermelho, ultra-violeta até raios X duros, que permite visualizar a estrutura dos materiais até o nível atômico e molecular.

Tecnologia de Primeiro Mundo

Com uma área total construída de 2.200 m2, o prédio que abriga o Centro foi projetado especialmente para experimentos de alta precisão. O espaço obedece os mais avançados conceitos técnicos de forma a alcançar os requisitos em termos de estabilidade de temperatura e proteção dos equipamentos contra vibrações e ruído eletromagnético. Na obra foram investidos R$ 6 milhões, recursos provenientes da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).

A unidade concentrará ferramentas tecnológicas de última geração, financiadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), com investimento na ordem de US$ 2,5 milhões. Entre os destaques está o microscópio eletrônico de transmissão analítica para nanocaracterização espectroscópica de materiais, em fase de instalação. Com ele é possível não só visualizar estruturas nanométricas, como também identificar quais os elementos químicos que compõem o material.

O Centro Cesar Lattes dará ênfase ao desenvolvimento de aplicações tecnológicas, e vai permitir aos pesquisadores usuários desenvolverem estudos e projetos que, além de ampliar o conhecimento científico, abrem possibilidades para várias aplicações, como o desenvolvimento de catalisadores mais eficientes e econômicos para indústria, de aços e ligas metálicas de melhor qualidade, aprimoramento de outros produtos e tecnologia.



Comentários