Investimento estrangeiro dobra e bate recorde


Isso representa um crescimento de 98% em relação a janeiro do ano passado - quando houve a entrada de US$ 2,42 bilhões em investimentos diretos. Segundo o BC, o valor é recorde histórico para meses de janeiro.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, informou que a estimativa é de ingresso de US$ 200 milhões em investimentos diretos em fevereiro deste ano.

Para todo o ano de 2008, a expectativa do Banco Central é do ingresso de US$ 28 bilhões em investimentos diretos na economia brasileira. O mercado financeiro, por sua vez, estima a entrada de US$ 29 bilhões em investimentos neste ano. Em 2007, os investimentos diretos bateram todos os recordes ao somar US$ 34,6 bilhões.

Transações correntes

O BC informou que as transações correntes, um dos principais termômetros das contas externas brasileiras, registraram déficit de US$ 4,23 bilhões em janeiro deste ano. Isso representa um forte deterioração em relação ao superávit de US$ 286 milhões registrado na conta corrente em janeiro de 2007.

O resultado negativo de janeiro deste ano supera, inclusive, a projeção de um déficit de US$ 3,5 bilhões, realizada pelo BC no ano passado, para todo o ano de 2007. As transações correntes registram o movimento da balança comercial brasileira, dos serviços e das rendas. Segundo a instituição, esse é o pior resultado desde outubro de 1998, quando foi contabilizado um déficit em conta corrente de US$ 4,95 bilhões.

Lopes não se mostrou preocupado, entretanto, com o resultado da conta corrente em janeiro. Segundo ele, o déficit está sendo coberto pelo forte ingresso de investimentos diretos, que somou US$ 4,8 bilhões no mês passado, além de empréstimos de médio e longo prazos.
 
 Explicações

Uma das explicações centrais para o resultado negativo da conta corrente em janeiro, segundo números do BC, foram as remessas de rendas ao exterior, que somaram US$ 4,3 bilhões no mês passado. Isso representa um crescimento de 125% em relação a janeiro de 2007, quando foram registradas remessas de US$ 1,9 bilhão. Do total de US$ 4,3 bilhões em remessas em janeiro deste ano, US$ 1,28 bilhão são de juros e US$ 3 bilhões de lucros e dividendos.

Além do aumento das remessas de lucros e dividendos ao exterior em janeiro deste ano, a queda do superávit da balança comercial também contribuiu para o forte déficit em transações correntes registrado no mês passado. Em janeiro de 2007, por exemplo, a balança comercial contribuiu para o ingresso de US$ 2,5 bilhões no Brasil. Já no mês passado, contribuiu com a entrada de somente US$ 944 milhões no país.

"O déficit em conta corrente de janeiro se deve à uma queda no superávit comercial e a maiores remessas de lucros e dividendos. Na balança comercial, você tem um crescimento mais forte das importações de matérias-primas, de bens de capital [máquinas e equipamentos] e de bens de consumo duráveis. Já as remessas de lucros subiram pelo bom resultado das empresas, pela queda do dólar e pela necessidade de cobrir posições no exterior [resultado da crise externa]", explicou Lopes.

Conta financeira e balanço de pagamentos

No caso da conta financeira, pela qual transitam os investimentos estrangeiros diretos e as aplicações financeiras (em ações e títulos públicos, entre outros), houve superávit de US$ 7,55 bilhões em janeiro deste ano - contra um resultado positivo de US$ 5,51 bilhões no mesmo mês do ano passado.

Ao contabilizar todas as operações do Brasil com o exterior, o resultado que é chamado de "balanço de pagamentos", o saldo ficou positivo em US$ 3,23 bilhões em janeiro deste ano, contra um resultado superavitário de US$ 5,57 bilhões no mesmo mês de 2007.



Comentários