Captura de carbono pode tornar carros livres de emissões

Foto: Divulgação

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia desenvolveram uma estratégia para capturar, estocar e eventualmente reciclar o carbono proveniente de veículos, evitando que ele alcance a atmosfera. Os especialistas têm como meta um carro com zero de emissões e um sistema de transporte completamente livre de combustíveis fósseis.
 
As tecnologias para capturar as emissões de dióxido de carbono (CO2) de grandes fontes, como usinas de energia, têm ganhado enorme atenção - mas cerca de dois terços das emissões globais de carbono são geradas por poluentes muito menores, como automóveis, veículos de transportes e aplicações industriais distribuídas para a geração de energia (geradores de energia à diesel, por exemplo).
 
O objetivo dos pesquisadores da Geórgia Tech é criar um sistema de transporte sustentável, que utiliza um combustível líquido e aprisiona as emissões de carbono no veículo para posterior processamento em uma estação de combustível. O carbono voltaria então para uma usina de processamento, onde poderia ser transformado em combustível líquido. Atualmente os pesquisadores estão desenvolvendo um equipamento para o processamento do combustível, separando o carbono para estocar no veículo em forma de líquido.
 
A estratégia do grupo a curto prazo envolve a captura das emissões de carbono de veículos convencionais (fósseis) com um processador que deve separar o hidrogênio do carbono no combustível. O hidrogênio é então utilizado para energizar o veículo, enquanto o carbono é estocado no veículo de forma líquida até ser depositado na estação de combustível.  A partir de então, o líquido é transportado para um local centralizado para ser seqüestrado permanentemente, como formações geológicas, sob o oceano ou na forma de carbonato sólido.
 
A logo prazo, o CO2 será reciclado, formando um ciclo fechado, envolvendo a síntese de combustíveis líquidos de alta energia e densidade, condizente com o setor de transportes.
 
Os pesquisadores se basearam em um veículo movido a hidrogênio para o seu plano de captura do carbono, pois o hidrogênio puro não produz emissões de carbono quando é utilizado como combustível para veículos. O processador de combustível produz hidrogênio a bordo do veículo a partir do combustível hidrocarbonado sem a introdução de ar no processo, resultando em um produto enriquecido em carbono que pode ser capturado com mínimas perdas energéticas. Os sistemas tradicionais de combustão, incluindo veículos a gasolina, têm um processo de combustão que combina  combustível e ar, deixando o CO2 altamente diluído e dificultando a sua captura.
 
A Geórgia Tech já criou um processador de combustível, chamado de reator CO2/H2 Active Membrane Piston (CHAMP), capaz de produzir hidrogênio eficientemente e separar e liquefazer o CO2 de um combustível hidrocarbonado ou sintético utilizado por um motor de combustão interna ou uma célula combustível.
 
Atualmente o grupo desenvolveu um sistema para a produção de hidrogênio e captura das emissões de carbono, o maior desafio restante será desenvolver um método para produzir um combustível líquido sintético a partir do CO2 e água utilizando fontes renováveis de energia.
 
A pesquisa foi publicado na revista 'Energy Conversion and Management' e financiada pela NASA, pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos e pelo Programa da Geórgia Tech chamado 'Creating Energy Options'.

Texto adaptado de materiais fornecidos pelo Georgia Institute of Technology.

Traduzido por Fernanda B. Muller, com informações de ScienceDaily.



Comentários