Virtualização é tendência nas empresas, diz Starrett


Aposta em novas tecnologias pode aumentar a competitividade


Dentro da Starrett, fabricante de ferramentas que está entre as líderes mundiais, as novas tecnologias são encaradas como um avanço dentro da produção.

Embora os novos softwares que chegam ao mercado sempre exijam funcionários treinados para utilizá-los, a chamada ‘Era Virtual’ tem mostrado muito mais vantagens do que se esperava.

“Hoje é impensável que uma grande empresa sobreviva sem informatização, a começar por ferramentas simples como o e-mail”, analisa o gerente de Tecnologias da Informação da Starrett Luiz Ono.

Para ele, uma das tendências nesta área é a automatização do contato com clientes e fornecedores. “Muitos aplicativos já estão disponíveis na internet. O próprio servidor da empresa, por exemplo, não fica em um hardware dentro da fábrica, ele é acessado apenas virtualmente, terceirizamos esse processo de armazenamento”, diz Luiz Ono.

A principal vantagem desta terceirização, segundo o gerente, é a segurança e a tranqüilidade em relação ao servidor. “Se mantivéssemos o servidor na empresa, teria que aumentar minha equipe em até três vezes. Optamos por armazená-lo na IBM, que é uma empresa parceira da Starrett há 30 anos”, conta Luiz Ono, que explica que as novas tecnologias têm exigido atualização dos funcionários da empresa.

“O mercado precisa de técnicos que consigam observar o processo de produção como um todo. Não basta ter um ERP bom se a equipe de tecnologia não conseguir extrair o máximo de utilidade do programa”.

Hoje, muitos clientes da Starrett têm contato apenas virtual com a empresa. “Os pedidos são feitos via internet, a produção é avisada pelo computador, o processo tem ficado cada vez mais independente e rápido. É um ganho para o mercado”.



Comentários