Açotubo abre filial para ser mais competitiva no Nordeste

Um contrato de fornecimento para a unidade da Braskem em Camaçari (BA) fez a distribuidora de produtos siderúrgicos Açotubo investir na abertura de uma filial na Bahia, que também deverá atender os demais clientes da empresa na região Nordeste. "(A assinatura do contrato) foi um dos itens que ajudou a viabilizar a abertura da filial", diz o diretor financeiro da Açotubo, Wilson Bassi. E acrescenta, "já tínhamos a vontade de realizar este projeto para atender o Nordeste, porque nos permitiria reduzir os prazos de entrega sensivelmente e oferecer um preço mais competitivo na região".

A distribuidora está investindo R$ 5,5 milhões na abertura da filial, exigida pela Braskem no contrato. Com isso sobe para cinco o número de filiais da empresa, que já está presente no Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além da matriz, localizada em Guarulhos (SP). Até agora as vendas ao Nordeste eram feitas por meio da filial mineira ou da matriz.

A unidade deverá entrar em operação em até um mês. "Hoje estamos com o local de instalação pronto, iniciando a formação de estoques. A Gerdau e a Vallourec & Mannesman (V&M) já estão entregando material diretamente lá e faremos também transferência da matriz para lá."

Inicialmente a empresa estima vendas mensais de 150 toneladas na filial. "Estamos bastante esperançosos com faturamento da filial", afirmou Bassi, sem revelar valores. "O Nordeste tem apresentado forte crescimento na área petrolífera e deve continuar em expansão."

Somente o contrato com a Braskem, que vale durante o ano de 2008 e pode ser renovado, deve garantir uma receita de R$ 350 mil por mês, no fornecimento de peças para obras de manutenção e projetos de expansão.

Tal contrato vai contribuir para o crescimento da empresa, que registrou vendas de 79 mil toneladas no ano passado, o que permitiu receita de R$ 450 milhões. Para 2008, a expectativa é de alta de 16% no volume de vendas, para 92 mil toneladas, e crescimento de 22% no faturamento, para R$ 550 milhões. "A economia tem crescido de forma sustentada e deve garantir pelo menos a manutenção do ritmo de crescimento de 2007", diz.

As vendas das distribuidoras de aço cresceram 26,10% até setembro do ano passado, em relação ao mesmo período de 2006, atingindo patamar de 2,45 milhões de toneladas, segundo dados computados pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda).

O segmento automotivo registrou alta de 25,78% no período, enquanto o setor da construção civil consumiu 17,17% mais aço. "Os segmentos automotivo, petrolífero, da construção civil e agrícola devem puxar o crescimento, com demanda no mínimo igual à de 2007", previu Bassi.



Comentários