Gerdau Graphene e SENAI firmam parceria para o desenvolvimento de polímeros com grafeno, mais resistentes e sustentáveis

Parceria entre a Gerdau Graphene e a unidade EMBRAPII SENAI Mario Amato terá foco na pesquisa, desenvolvimento e inovação para aplicações industriais de grafeno em plásticos.


Continua depois da publicidade


A Gerdau Graphene assinou um contrato de parceria com a unidade EMBRAPII SENAI/SP - Materiais Avançados para o desenvolvimento de masterbatches com grafeno em resinas termoplásticas. Localizada dentro do SENAI Mario Amato, em São Bernardo do Campo / SP, a unidade compõe um centro voltado a projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação para materiais avançados, credenciado pela EMBRAPII (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e tido como referência no estado de São Paulo.

O projeto é a terceira frente de pesquisa da Gerdau Graphene, que possui um posto avançado no Centro de Inovação de Engenharia de Grafeno (GEIC, da sigla em inglês) da Universidade de Manchester, no Reino Unido, e um recente centro tecnológico de aplicação industrial em parceria com o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), em São Paulo. Com o SENAI, o objetivo é explorar o grande potencial do grafeno em resinas poliméricas, um dos principais campos de aplicação do nanomaterial. A partir da tecnologia desenvolvida pelo GEIC, a parceria trabalhará em fórmulas de dispersão e para aplicações industriais. Os desenvolvimentos terão foco em resinas virgens, pós-industriais e PCRs nos polímeros PE, PP, PVC, PA, ABS, PS, PC, entre outros.

As características do grafeno - altíssima área superficial, baixa densidade, alta razão de aspecto, alta propriedade mecânica, elétrica e térmica e boa compatibilidade com diversas matrizes poliméricas - têm potencial de revolucionar o setor, com aplicações em diferentes segmentos da indústria de plástico: embalagens rígidas e flexíveis, peças técnicas, eletrodomésticos, indústria automobilística e aeroespacial, entre outros. A tecnologia atua em duas frentes: menor utilização de material para produção e potencialização da utilização de materiais recicláveis, ambas com ganho na resistência e na sustentabilidade. Além da melhoria das propriedades físico mecânicas, o material confere ainda propriedades de barreira, proteção a intempéries, oxidação e UV, e aumento de condutividade elétrica e térmica.


Continua depois da publicidade


“Seremos referência em produtos de grafeno em escala industrial no Brasil e no mundo e, para isso, estamos criando uma rede de centros de pesquisa, um ecossistema de desenvolvimento do material e de sua aplicação. O SENAI, por sua expertise em polímeros, é um forte parceiro nesse sentido e constitui mais um passo para se transformar ciência em aplicação, produzindo conhecimento, capacitando pesquisadores e construindo soluções junto à indústria nacional. Os primeiros produtos estarão no mercado ainda no primeiro trimestre de 2022 e teremos entregas de pesquisas com esta parceria a cada seis meses”, afirma Alexandre de Toledo Corrêa, diretor-geral da Gerdau Graphene.

“A unidade EMBRAPII SENAI/SP - Materiais Avançados faz parte da Rede de Institutos SENAI de Inovação e da Rede EMBRAPII/MCTI Grafeno, desenvolvendo pesquisa aplicada em Materiais Avançados, com amplo foco em grafeno, para uso em diferentes matrizes e aplicações. A Gerdau Graphene e O SENAI estão neste projeto para alavancar o uso do grafeno na indústria brasileira, aumentando seu nível de competitividade frente às oportunidades decorrentes dessa macrotendência mundial. A parceria firmada no final de 2021, proporciona grande oportunidade de desenvolver novos materiais, especificamente masterbatches para uso em polímeros de grande aplicação industrial, ressaltando a relevância do grafeno para o mercado", explica Gustavo Spina Gaudencio de Almeida, Coordenador de Tecnologia do Instituto SENAI de Inovação em Materiais Avançados e Nanocompósitos.

“Com menos de um ano de existência, a Gerdau Graphene já atua como integrador de toda a cadeia do grafeno - empresas, fornecedores, investidores, cientistas, potenciais clientes e órgãos públicos - para tornar este nanomaterial em uma realidade nos mais diversos processos industriais. Além da tecnologia, trabalhamos focados em sustentabilidade, um tema prioritário na Gerdau, hoje a maior recicladora da América Latina. Entendemos o potencial do grafeno nesse sentido e buscamos soluções industriais sustentáveis para nossos clientes”, finaliza Corrêa.

A Gerdau Graphene faz parte do portfólio de empresas da Gerdau Next, divisão de novos negócios da Gerdau que tem como missão diversificar o portfólio da multinacional brasileira com negócios adjacentes ao aço. Além de polímeros, atua também em produtos para construção civil, lubrificantes, elastômeros e tintas.




Comentários