Mercopar 2007 supera metas e anuncia novidades

Fonte: Assessoria de Imprensa da Mercopar - 29/10/07

A 16ª edição da Mercopar – Feira de Subcontratação e Inovação Industrial, que encerrou no dia 26, em Caxias do Sul, superou todas as metas estabelecidas, principalmente em relação ao volume de negócios, que deve fechar em cerca de R$ 65 milhões.

As entidades promotoras do evento – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e Hannover Fairs Sulamerica, empresa do grupo Deutsche Messe AG – já estão pensando nas próximas edições da feira. O objetivo é contar com maior participação de países latino-americanos, de Arranjos Produtivos Locais (APLs) de outros estados brasileiros, estimular a adoção de energias limpas e renováveis por parte de micro e pequenas empresas e abrir espaço para o setor financeiro. As novidades foram apresentadas na sexta-feira, 26, durante coletiva de imprensa, por dirigentes do Sebrae/RS e da Hannover Fairs Sulamerica nos pavilhões da Festa da Uva, onde ocorre a feira.

“Superamos todas as metas estabelecidas para 2007”, comemora o diretor da Hannover Fairs Sulamerica, Constantino Baümle, exibindo os números da 16ª Mercopar, todos com índices superiores aos de 2006. O volume de negócios dessa edição deverá ficar cerca de 27% a mais do que o verificado no ano passado.

O número de expositores também foi destaque: a feira contou com 443 expositores, superando em 34,2% os 330 do ano passado. Os visitantes fecharam entre os24 mil e 25 mil pessoas. A área da Mercopar, conseqüentemente, também aumentou. Os 10,2 mil metros quadrados ocupados foi 36% maior do que o de 2006. Um dos crescimentos mais importantes, na avaliação de Bäumle, foi registrado na população fixa, ou seja, a dos colaboradores que atuam nos estandes de empresas expositoras e entidades participantes da feira. “O crescimento foi de 117%. No ano passado, emitimos 1,7 mil crachás. Este ano, a demanda foi de 3,7 mil”, contabiliza.

Para o diretor da Hannover Fairs Sulamerica, o crescimento da população fixa, somado a investimentos para incrementar a qualidade dos estandes e ao aumento da área ocupada pelas empresas, exprime o interesse e a confiança cada vez maiores depositados por empreendedores na Mercopar. Pesquisa realizada junto aos expositores indica que 84% superaram as expectativas estabelecidas em relação à feira. “Quem esteve aqui, fez negócios e pretende voltar”, salienta Bäumle.

Em média, cada expositor recebeu 361 visitantes – cerca de 60% a mais do que ano passado – e teve a oportunidade de realizar 129 contatos, total que supera em 104% os contatos de 2006. No número de negócios concretizados, o aumento foi ainda mais expressivo. Em média, cada estande formalizou 17 negócios, número 325% acima do ano passado.

Os resultados em negócios foi impulsionado principalmente pelo Projeto Comprador e pelo Encontro Internacional de Negócios de Autopeças (Mercoparts), eventos paralelos à Mercopar. O Projeto Comprador é uma rodada de negócios para a qual são convidadas empresas de médio e grande portes em busca de fornecedores entre os expositores da feira. Os encontros entre os compradores e fornecedores de produtos e serviços são previamente agendados e têm duração média de 30 minutos. A Mercoparts tem o mesmo perfil, mas é direcionada exclusivamente ao setor automotivo e é aberta a empresas não-expositoras da Mercopar.

Os encontros de negócios tiveram a participação de 40 grandes empresas compradoras. As vendedoras foram 148 micro e pequenas empresas. O número de reuniões realizadas chegou a 1.040, cerca de 30% a mais do que o ocorrido no Projeto Comprador e na Mercoparts da Mercopar 2006. A previsão era de que ocorressem 800 reuniões. “Houve muitos contatos espontâneos entre grandes e pequenas empresas”, explica Bäumle.

As principais novidades para o próximo ano foram apresentadas pelo diretor de Operações do Sebrae/RS, José Claudio dos Santos. “Aproveitamos todos os dias da Mercopar para falar do futuro”, afirma o diretor. De acordo com Santos, a organização do evento concentrará esforços para atrair representantes de países andinos e do México. “Chile, Colômbia e Bolívia são países muito fortes na contratação de serviços. No caso do México, há uma similaridade muito grande entre a indústria automobilística daquele país com a do Brasil”, explica.

O diretor ressalta ainda o projeto para reforçar a presença de empresas atendidas pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional) na Mercopar. Na 16ª edição, a entidade incentivou a vinda de 24 empresas de São Paulo, Paraná, Minas Gerais e de Santa Catarina. Para a próxima edição, a participação deverá ser ainda maior, com a presença de empreendimentos ligados a APLs impulsionados pela entidade nos Estados. APLs são aglomerações de empresas localizadas em uma mesma região, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre elas e com outros agentes locais, como governos, associações empresariais e instituições de crédito, ensino e pesquisa.

Outra novidade será a realização de feiras reversas, nas quais grandes empresas compradoras apresentarão seus produtos, processos de produção e principais serviços que pretendem adquirir. “Isso deverá facilitar a qualificação de micro e pequenas empresas que tenham a intenção de inserir como fornecedoras desses grandes estabelecimentos”, salienta Santos. Um dos principais destaques da 16ª edição, o 1º Salão de Energia, também deverá ganhar maior ênfase na edição de 2008. “Estamos reafirmando nosso compromisso nesse sentido. Precisamos estimular micro e pequenas empresas para a eficiência energética”, diz o diretor de Operações do Sebrae/RS.

O diretor-superintendente do Sebrae/RS, Derly Cunha Fialho, também lembrou que, a cada edição, a Mercopar atende com maior precisão às expectativas do público para a qual é direcionada. “Conseguimos justamente aquilo que expositores e visitantes desejam: oferecer oportunidade da ampliação de mercados e do estabelecimento de contatos de negócios”, afirma. “Nosso maior desafio é tornar micro e pequenas empresas mais competitivas. Uma feira como a Mercopar trabalha a favor da inovação e da inserção no mercado”, complementa.



Comentários