Projeto Revestimento de Ferramentas é finalista do Prêmio Santander Ciência

Pesquisa da UCS beneficiará indústrias do setor metal mecânico

Fonte: Universia Brasil - 18/10/07

Carlos Alejandro Figueroa, professor e pesquisador da Pós-Graduação em Materiais da Universidade de Caxias do Sul, desenvolveu um projeto de fabricação de revestimentos protetores para ferramentas de corte, moldes e matrizes, com o objetivo de aumentar a vida útil destes equipamentos. Os utensílios são largamente utilizados pelas indústrias da área automobilística, plástica, agropecuária e aeroespacial, entre outras.

O projeto de Figueroa está entre os finalistas da terceira edição do Prêmio Santander de Ciência e Inovação, realizado pelo Santander, com o desenvolvimento e gestão do Universia Brasil, na categoria Indústria. "O eixo Porto Alegre - Caxias do Sul, que concentra o segundo maior pólo da indústria metal mecânica do país, seria um grande beneficiado", destaca o pesquisador.

"A idéia consiste em obter materiais como o Nitreto de Titânio (TiN), por exemplo, usando equipamentos de nitretação por plasma pulsado (tecnologia PECVD), o que proporciona uma via de fabricação mais simples, versátil e econômica quando comparada com os revestimentos obtidos pela tecnologia PVD, segundo Carlos. "Em uma segunda etapa, há a possibilidade de desenvolver outros tipos de materiais ainda mais inovadores", diz.

Ao todo, são 15 projetos finalistas de pesquisadores de todo o País. A premiação final será realizada no dia 29 de novembro, em Brasília, após as premiações regionais em Porto Alegre (24/10), São Paulo (29/10) e Rio de Janeiro (31/10). Os vencedores receberão prêmio no valor de R$ 50 mil para viabilização do projeto, além de certificado e troféu. No mesmo dia, também serão anunciados os vencedores do Prêmio Santander de Empreendedorismo.

O pesquisador Carlos Alejandro Figueroa está disponível para entrevistas pelos telefones (54) 3218-2764 e (54) 9179-6022.

Critérios de avaliação

O Prêmio Santander de Ciência e Inovação, dividido em três categorias - Indústria, Tecnologia da Informação e Comunicação, e Biotecnologia -, premia pesquisadores-doutores que produzirem as melhores pesquisas científicas de caráter tecnológico-inovador. Para a definição dos projetos finalistas, serão considerados os objetivos gerais e específicos na área de aplicação do projeto, infra-estrutura física e humana disponível para sua implantação, o valor agregado para a organização, o impacto social e ambiental, potencial para a geração de riqueza, viabilidade técnica e financeira, indicadores dos resultados esperados (quantitativos e qualitativos) e o caráter inovador.

A avaliação e o julgamento dos projetos serão realizados por uma comissão de pesquisadores vinculados a instituições científicas, sob a coordenação do professor e pesquisador Adolpho Melfi, Vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC). Os dois Prêmios tem o apoio institucional do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da ANPROTEC (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores).
Tópicos:



Comentários