Nestlé Purina investe R$ 1 bilhão para construção de novo parque industrial em SC


Continua depois da publicidade


A Nestlé Purina anunciou nesta quarta-feira (23) um investimento estimado em torno de R$ 1 bilhão para a construção de um novo parque industrial em Santa Catarina que atenderá à crescente demanda do mercado brasileiro por alimentos para cães e gatos bem como consolidará o país como uma importante plataforma de exportação de produtos para outros países da América Latina, Estados Unidos e Europa. O anúncio vem semanas após a Nestlé Brasil anunciar o investimento de R$ 900 milhões, o maior nos últimos cinco anos, em 2021.

O projeto de intalação da nova fábrica da Nestlé Purina permitirá acelerar o crescimento da Purina em um mercado estratégico para o Grupo Nestlé. A previsão inicial é de contratação de 200 profissionais nos próximos anos e, durante as etapas de instalação, mais de 1,8 mil terceiros. 

Com uma fábrica em operação em Ribeirão Preto (SP), onde investiu mais de R$ 500 milhões para implementar tecnologias exclusivas adotadas na fabricação de seus produtos úmidos em 2018 e mais R$ 120 milhões recém-anunciados para expansão de capacidade, Nestlé Purina tem aumentando seu faturamento em dois dígitos nos últimos três anos no país.

A nova planta será construída já considerando política de zero destinação para aterros sanitários, projetos de reuso de água resultantes do tratamento de efluentes industriais, uso crescente de fontes renováveis e energia. Na primeira fase, será instalada uma linha de alimentos úmidos (wet) de tecnologia avançada, única e patenteada.

O parque industrial terá a estrutura dimensionada para contemplar outras fases de ampliação e instalação de mais linhas de produção de alimentos úmidos, secos e outras tecnologias da indústria de petfood. Para atender ao potencial do empreendimento, a empresa está prospectando uma área privada na região do município de Vargeão, localizado na região Oeste de Santa Catarina.

Nestlé Brasil

Do montante anunciado pela Nestlé Brasil para 2021 (R$ 900 milhões), cerca de 85% dos recursos será destinada à automação, modernização e expansão da capacidade nas fábricas (mais de R$ 764 milhões). Apenas em inovação em produtos e embalagens estão previstos R$ 235 milhões. Os demais recursos serão dirigidos a melhorias em vendas e logística de distribuição, gestão e recursos relacionados com tecnologia e atividades administrativas.


Continua depois da publicidade


Entre os projetos prioritários para 2021, está a expansão da produção na unidade de Montes Claros (MG), em uma nova linha de cápsulas de Nescafé Dolce Gusto. Outros recursos são para transformação digital e indústria 4.0, com robôs e tecnologias que trazem maior eficiência e produtividade, além de segurança. Para o ano, estão previstas adequações de infraestrutura para novas tecnologias nas plantas de Araras (SP), Vila Velha (ES), Ituiutaba (MG), Ibiá (MG), Montes Claros (MG), Marília (SP) e Goiânia (GO).

Está projetada, ainda, a ampliação de capacidade, com adaptações e novas linhas, em Caçapava (SP), São José do Rio Pardo (SP), Feira de Santana (BA), Araras e Ibiá – em categorias como chocolates, cafés, lácteos e nutrição infantil –, e investimentos em inovação em embalagens e formatos, nas plantas de Caçapava, Vila Velha e Marília, com destaque para biscoitos e chocolates, e na redução de uso de plástico e papelão em embalagens, em iniciativas que ocorrerão nas unidades de Vila Velha, Ituiutaba e Caçapava.

O ano também será de aportes em eficiência energética e sustentabilidade nas operações industriais, com destaque para as plantas de Araçatuba, Ibiá e São José do Rio Pardo, como projetos de caldeiras com uso de biomassa e novas instalações para aproveitamento de água.




Comentários