7 razões para investir no corte a plasma para reparos automotivos

A tecnologia apresenta melhor custo-benefício, que garante aos usuários muito mais agilidade, qualidade e segurança em todos os seus serviços de corte de materiais metálicos.

Consolidado na América do Norte, o corte a plasma ainda está sendo descoberto pelas oficinas mecânicas do mundo, sejam elas especializadas em reparos de funilaria ou aquelas que, exclusivamente, realizam customização automotiva. “As possibilidades oferecidas por esta tecnologia garantem aos usuários muito mais agilidade, qualidade e segurança em todos os seus serviços de corte de materiais metálicos”, afirma Edson Urtado, Gerente de Vendas da Hypertherm, referência internacional em sistemas a plasma.

Nos segmentos de reparo e customização, as principais aplicações do plasma incluem corte de peças da carroceria, fabricação de novos componentes ou seções e remoção de parafusos e porcas enferrujados, bem como a preparação de superfícies danificadas para a soldagem.

“Os sistemas a plasma também se caracterizam pela dependência mínima do operador e pela possibilidade de fazer a goivagem de precisão, ou seja, cortar e retirar pontos de solda, algo muito interessante para as oficinas. Em termos de métodos de corte, separação e marcação do metal, atualmente, não existe tecnologia com melhor custo-benefício do que esta”, explica Edson.

A lista a seguir traz 7 razões que demonstram porque o sistema de corte a plasma é a escolha mais segura e uma ferramenta de longa duração para os projetos automotivos.

  1. Melhor qualidade de corte: Os cortes a plasma geram menos escória, menor deformação e uma menor zona afetada pelo calor.
  2. Corta um maior número de peças com mais rapidez: Velocidades de corte bem mais rápidas e não precisa de tempo para pré-aquecer.
  3. Menor custo por peça: Maior número de peças por hora, redução de trabalho e diminuição de operações secundárias impulsionam a produtividade em geral.
  4. Mais lucratividade: Menores custos operacionais e maior produtividade resultam em um maior lucro.
  5. Mais fácil de usar: Não há gases a ajustar. Também não é necessário manter afastamento. As tochas utilizadas no corte são projetadas para que possam ser arrastadas ao longo da chapa.
  6. Maior flexibilidade: Corte de aço-carbono, alumínio, aço inoxidável, cobre e muitos outros metais. Cortes manuais, com cortador em linha ou de tubos, ou em mesa X-Y. Corte de metal empilhado, grade de metal ou mesmo peças enferrujadas ou pintadas.
  7. Usa apenas ar: Não necessita de gases inflamáveis. Com os sistemas de corte a plasma, o único gás necessário é o ar comprimido.

Em resumo, o plasma é usado em sistemas de corte manual e mecanizado para cortar uma grande variedade de materiais, incluindo aço carbono, aço inoxidável, alumínio, cobre, bronze e outros metais com maior velocidade, melhor acabamento e custos mais baixos em comparação com os outros sistemas de corte. Levando em consideração essas características, é necessário avaliar se o corte a plasma atende às suas necessidades.




Comentários