Agilidade, tecnologia e regulamentação são as principais prioridades dos CEOs pós-pandemia, diz estudo

O relatório também identifica cinco fatores-chave que diferenciam os CEOs de alto desempenho.


Continua depois da publicidade


As crises de emprego e meios de subsistência são um dos principais riscos para 2021, de acordo com o Fórum Econômico Mundial. Uma pesquisa com 3.000 executivos-chefes levanta a tampa sobre as prioridades corporativas após o coronavírus. Livrar-se de distrações, descartar tradições ultrapassadas e explorar vantagens exclusivas são as novas áreas de foco, diz a IBM em seu relatório “2021 CEO Study”.

“A pandemia de Covid-19 desafiou muitos líderes a se concentrarem no que é essencial, como seu pessoal”, disse Mark Foster, vice-presidente sênior da IBM Services.

O estudo, que identifica cinco fatores-chave que diferenciam CEOs com desempenho superior, examina três áreas essenciais: prioridades, vantagens e lições.

Prioridades

Agilidade - ser capaz de responder rapidamente e girar sem perder o ímpeto - é uma prioridade para os líderes “em um nível sem precedentes”, diz a IBM. Mais da metade (56%) dos CEOs enfatiza a necessidade de “buscar agressivamente” agilidade e flexibilidade operacional nos próximos dois a três anos.

Espera-se que a tecnologia tenha o maior impacto nos negócios nos próximos anos. Os CEOs estão olhando mais para a Internet das Coisas - o mundo dos dispositivos conectados - computação em nuvem e inteligência artificial para entregar resultados.

Metade dos CEOs no estudo citou a regulamentação como uma prioridade. “Isso, sem dúvida, reflete uma crescente assertividade por parte dos governos em relação à privacidade, dados, comércio e - ampliado pela Covid-19 - saúde”, afirma a IBM.

Vantagens

Cinco áreas principais definem os “outperformers” (alto desempenho), em comparação com os “underperformers” (baixo desempenho):

  1. Liderança - os outperformers mostram consistentemente “liderança estratégica decisiva”, com 85% citando a liderança como crítica para o desempenho dos negócios.
  2. Tecnologia - os CEOs de empresas com desempenho superior estão mais focados em tecnologias emergentes e nos riscos e oportunidades que elas trazem.
  3. Funcionários - o local de trabalho remoto criado pela Covid está entre as áreas de foco futuro mais citadas por outperformers, com 50% dos CEOs identificando-o como um desafio importante. Isso é o dobro da taxa dos underperformers.
  4. Inovação aberta - 63% dos outperformers identificam as parcerias como a chave para avançar com a inovação, em comparação com apenas 32% dos underperformers.
  5. Cibersegurança - 26% mais outperformers do que underperformers citam o risco cibernético como um de seus maiores desafios nos próximos anos.

Lições

Ao aprofundar seus dados, a IBM encontrou três áreas principais de foco entre os CEOs.

  1. Clientes: 48% dos entrevistados citaram clientes, consumidores e cidadãos como suas prioridades de negócios mais importantes. Isso inclui a criação de experiências positivas para o cliente e foco na ética e integridade. “Eles sabem que tentar explorar ou tirar vantagem de clientes ou parceiros é um jogo de perdedor de curto prazo”, diz a IBM.
  2. Produtos: para 30% dos 3.000 CEOs, produtos e serviços são a prioridade, com foco na inovação.
  3. Operações: os outros 20% dos CEOs do estudo priorizam as operações, com foco em eficiência, distribuição, estrutura de preços e transparência.  “No contexto da Covid-19, este é o grupo mais atingido durante 2020”, diz a IBM. “Mesmo entre os outperformers nesta coorte, 60% relatam quedas de receita esperadas para o ano, um número duas vezes maior que os outperformers nos grupos focados no cliente e no produto”.

Principais riscos

Em seu Relatório de Riscos Globais 2021, o Fórum Econômico Mundial examinou os riscos e consequências do aumento das desigualdades e da fragmentação social. 


Continua depois da publicidade


“Perdas de empregos, uma divisão digital cada vez maior, interações sociais interrompidas e mudanças abruptas nos mercados podem levar a consequências terríveis e oportunidades perdidas para grande parte da população global”, adverte o relatório.

Enquanto o relatório “Covid-19 Risks Outlook” do Fórum, publicado no ano passado, explorou as opiniões de quase 350 profissionais de risco sênior sobre os desafios mais prováveis à frente. Dois terços dos entrevistados identificaram uma recessão global prolongada como a principal preocupação para os negócios.

*Texto original WEF.




Comentários