Stadler celebra história de inovação pioneira com marco do milésimo separador balístico

A máquina foi adquirida pela Vaersa, empresa que desenvolve atividades de gestão e remediação de resíduos na região de Valência, na Espanha. O separador balístico STT5000_6_1 foi entregue à planta de triagem de embalagens leves Vaersa em Castellón no dia 28 de setembro, onde acabou de iniciar a operação.

Stadler venceu o concurso público da Vaersa para o fornecimento dos separadores balísticos através da maior pontuação. “É um prazer de trabalhar com a STADLER. Já sabíamos de sua excelente reputação e que a empresa é uma marca de referência no setor de triagem de resíduos”, afirmou Noelia Almiñana, chefe do departamento de gestão de resíduos da Vaersa.

“A demanda por separadores balísticos no mercado espanhol cresceu muito rapidamente, impulsionada pela automatização das usinas de reciclagem, que também aumentaram significativamente sua capacidade”, explica Luis Sánchez, Diretor de Operações da espanhola STADLER Selecciona SLU. “Sem separadores balísticos, seria muito difícil atingir esses objetivos duplos. Como resultado, hoje mais de 75% das plantas de reciclagem na Espanha dependem dessas máquinas. Na STADLER, fomos os pioneiros nessa tecnologia e melhoramos e atualizamos constantemente seu desempenho ao longo dos anos. É por isso que empresas como a Vaersa escolhem nossos separadores balísticos. O STT5000_6_1 é uma combinação perfeita para a planta de triagem em Castellón e oferece os benefícios de custos de manutenção extremamente baixos”.

Separadores balísticos pioneiros levam a uma parceria duradoura

Líder global no mercado de separadores balísticos, a STADLER foi pioneira nessa solução altamente eficiente e econômica. O desenvolvimento começou no início da década de 1990, e as primeiras quatro unidades STT2000 foram entregues em 1992 à Fischer para sua planta de triagem em Ravensburg, na Alemanha.


Continua depois da publicidade


“Hoje nossos separadores balísticos são muito eficazes e extremamente duráveis, mas o desenvolvimento inicial não foi fácil”, explica Willi Stadler da STADLER. “Na época, era muito difícil construir uma máquina robusta o suficiente para suportar os desafios do resíduos. Não tínhamos um eixo propriamente desenvolvido, então compramos um do setor agrícola. No entanto, este eixo não foi projetado para uso com resíduos e não era tão durável quanto gostaríamos”.

Hans Fuchs, que era Gerente de Fábrica da Fischer na época, ficou impressionado com a abordagem da STADLER para resolver o problema: "No início, tivemos alguns problemas porque o eixo não foi projetado especificamente para o uso de lixo. A STADLER foi pioneira na área de triagem de resíduos naquela época, e o trabalho pioneiro é sempre difícil. É compreensível que demore um certo tempo para resolver todos os problemas que surgem, o que a STADLER então fez muito bem”.

Na verdade, a equipe da Fischer ficou tão satisfeita que comprou mais duas máquinas para sua planta de triagem em Villingen-Schwenningen. Foi o início de uma relação duradoura com a STADLER, que continua até hoje. A Fischer foi posteriormente adquirida pela Remondis, que continua sendo uma cliente fiel.

“Hoje os separadores balísticos STADLER são perfeitos e cumprem seu propósito de maneira excelente”, diz o Fuchs, que permaneceu na empresa e agora é funcionário da Remondis. “Nossa máquina de 2012 registrou muito mais horas de operação do que as garantias da STADLER e os eixos ainda funcionam perfeitamente e nunca tiveram que ser substituídos”.

As razões para uma relação tão forte e duradoura também residem na qualidade do apoio e aconselhamento que a STADLER forneceu ao longo dos anos: “Durante as várias reformas e otimizações da nossa planta de separação de papel, a STADLER tem estado ao nosso lado com ajuda e aconselhamento”, explica o Fuchs. “Eles sempre encontraram a melhor solução para deixarnossa linha de separação ainda mais eficaz. O serviço de manutenção e peças de reposição também  sempre foi muito bom. Na década de 2000, começamos a desenvolver um conceito de inspeção de plantas em conjunto com a STADLER, a fim de evitar danos e problemas em épocas de grande volume de materiais (como Natal ou Páscoa). Como resultado, nunca tivemos um tempo de inatividade do sistema ou grandes reparos”.

O primeiro separador balístico com componentes 100% STADLER

Em 1996, a STADLER apresentou seu primeiro separador balístico com um eixo desenvolvido internamente e componentes 100% originais. A máquina foi adquirida pela Böhme, na Alemanha, quando novamente foi iniciado um relacionamento duradouro.

Stefan Böhme, CEO da Böhme, afirma: “Em nossa primeira unidade de classificação de embalagens leves, os dois separadores balísticos STADLER operando em paralelo sempre cumpriram a tarefa principal de classificação de material após o tambor de peneiramento, que ainda era muito simples na época. O separador balístico era, e continua a ser até hoje, o único dispositivo mecânico capaz de separar com tanta eficiência três frações diferentes ao mesmo tempo, ao separar embalagens leves”.

Os separadores balísticos da STADLER desempenham um papel importante na planta de triagem da empresa: “A separação precisa de finos e a separação de materiais 2D e 3D são o padrão aqui. Por muito tempo, temos usado a ajuda de ar para descarregar o material 2D e gerar uma grande parte de nossa fração de filme para reclassificação manual. Uma grande vantagem para a qualidade geral da triagem é também a excelente distribuição do material para as unidades subsequentes, que é gerada pelo separador balístico”.

Também para o Böhme, a STADLER se destaca não só pela qualidade de seus produtos, mas, muito importante, por sua capacidade de ajudar a operação da Böhme a evoluir e crescer para atender às mudanças na demanda do setor ao longo do tempo: “A STADLER tem produtos excelentes, um alto nível de experiência em planejamento e, por último, mas não menos importante, uma vasta experiência na implementação de instalações ou reformas de plantas em grande escala. Agradeço particularmente o cumprimento dos cronogramas e a expertise com que as medidas de construção foram implementadas. As equipes fazem uso direcionado de sua experiência e o contato com o gerente de projetos também não deixa nada a desejar. O serviço rápido e confiável de peças de reposição também impressiona: mesmo para os componentes mais antigos, uma solução é sempre encontrada”.

Imagem: Divulgação/Stadler

Inovação continua antecipando os requisitos do cliente

A STADLER está constantemente procurando maneiras de melhorar o desempenho e a eficiência de suas máquinas. Em 2000, apresentou duas importantes inovações: a estrutura pivotante patenteada, que eliminou a necessidade de inclinar toda a máquina para ajustà-la às esteiras, e as pás com perfuração peneirada.

Em 2002, estendeu sua oferta de separadores balísticos STT2000 com um novo modelo desenvolvido especificamente para separar papel e papelão, apresentando suas pás patenteadas em forma de Z. No mesmo ano, tendo identificado uma nova exigência de mercado, lançou o STT5000 para materiais pesados, como RSU e resíduos industriais. Esta máquina apresentava um eixo projetado para suportar resíduos úmidos e pás extra robustas para o processamento de fluxos de materiais pesados.

Mais recentemente, a STADLER identificou uma nova demanda para processamento de material extra-pesado, um setor de reciclagem em rápido crescimento devido a preocupações ambientais e pressão para reutilizar materiais. Para atender a esse requisito, desenvolveu o STT6000 especificamente para separar resíduos de construção e demolição, mineração em aterro e até mesmo RSU com grandes impurezas.

Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da STADLER, Christian Nordmann, destaca as principais vantagens da máquina: “Não há necessidade de pré-triagem ou pré-trituração do material de entrada. Além disso, diferentemente dos tambores de peneiramento, que separam o material apenas em duas frações, a saída de três frações do STT6000 significa que as impurezas podem ser facilmente removidas, pois ainda estão em seu tamanho original”.

Os separadores balísticos STADLER são extremamente flexíveis e podem ser adaptados para atender a requisitos muito específicos. Por exemplo, a empresa projetou separadores balísticos com menos pás para caber nos pequenos espaços disponíveis nas plantas de triagem no Japão. Também criou máquinas com pás mais longas para atender a necessidades muito específicas. Também é possível montar até três módulos separadores balísticos um em cima do outro ou em série para obter melhores frações de saída.

Um sucesso internacional

Os separadores balísticos STADLER são reconhecidos internacionalmente e estão operando em mercados em todo o mundo, com mais de 770 unidades vendidas na Europa, cerca de 70 máquinas na América do Norte, mais de 80 na Ásia, 60 na Austrália e mais de 20 na América Latina.




Comentários