Mais de 95% dos novos carros do mundo terão conectividade interna em 2030

Atualmente, 48% dos carros no mundo incluem conectividade interna, diz estudo.

À medida que a mudança de carros 'sendo conectados' por carros sendo 'experiências do consumidor' continua a crescer. Depois de mais de um século de negócios como de costume, o setor agora mudou de forma agressiva para um novo e ambicioso curso: “CASE” - o impulso para mais soluções de mobilidade conectada, autônoma, compartilhada e elétrica. Estudo inédito prevê que a conectividade interna de veículos aumentará acentuadamente de 48%, de todos os novos automóveis globais, para quase 96% até 2030.
 
A nova pesquisa conduzida pela SBD Automotive incluída no Relatório EPM 2030 ("Experiências por milha 2030: garantir a próxima década da transformação da mobilidade coloca o consumidor em primeiro lugar e acima de tudo") aponta que até 2030, 79% dos veículos enviados ao redor do mundo terão uma autonomia L2 maior - reduzindo significativamente o risco de falhas por meio de alertas e atuação discreta do sistema. 
 
À medida que os valores do consumidor, como economia de compartilhamento e sustentabilidade, se mantêm, a SBD Automotive estima que 26% dos lucros da mobilidade serão derivados de novas fontes, como a demanda por demanda, enquanto 24% de todos os carros novos vendidos até 2030 serão elétricos.
 
Segundo comunicado sobre o relatório, assinado por Tom Rivers, Vice-presidente Global de  Marketing da Harman International, e Jeffrey Hannah, Diretor América do Norte da SBD Automotive, para atender às novas demandas de mobilidade, é necessário um ecossistema complexo de fornecedores que estão evoluindo seus modelos organizacionais, práticas de negócios e serviços. 
 
“As montadoras estão determinando quanto mudar sua abordagem para o novo normal, enquanto continuam alimentando os investimentos atuais e satisfazendo as partes interessadas. As concessionárias costumam ser o primeiro ponto de contato para a nova experiência de mobilidade do consumidor, mas enfrentam desafios em termos de execução. Os fornecedores de mobilidade estão sob extrema pressão para fornecer soluções que sustentam cada tecnologia CASE, mas enfrentam restrições de segurança, regulamentação e mão-de-obra”, dizem.
 
As expectativas do consumidor não param na conectividade
 
Enquanto a grande maioria dos consumidores informa que hoje está confiando na tecnologia mais do que há alguns anos atrás, quase 40% sentem que essa abundância de soluções conectadas está se tornando muito complicada. “Hoje, o ecossistema automotivo é desafiado a não apenas fornecer mais tecnologia, mas oferecer soluções inteligentes como experiências holísticas e conectadas que reforçam a usabilidade e impulsionam a adoção em massa”, dizem os executivos.
 
Para preencher essa lacuna entre tecnologia e experiência, o Relatório EPM 2030 descobriu três áreas de foco principais que são fundamentais para impulsionar inovações significativas:
 
Reduza a complexidade para remover barreiras: A tecnologia está ficando muito complicada. Provavelmente, é um reflexo de que, enquanto muitos desses dispositivos funcionam bem individualmente, a integração de todos eles em uma experiência digital e de mobilidade está ficando mais difícil.
 
Foco em Usabilidade e Familiaridade: Os carros estão abaixo da média quando se trata de usabilidade. A maioria de todos os entrevistados considera que permanecer conectado e produtivo no carro é um desafio - com muitos lutando para ler mensagens SMS, acompanhar notícias ou verificar com segurança seus calendários em movimento.
 
Priorize a experiência em conectividade: As experiências digitais se tornaram um fator-chave na compra de um veículo. Os entrevistados listaram os seguintes itens como as principais coisas digitais (das 10 principais) que procurarão no próximo carro que comprarem: possibilidade de melhor produtividade ao dirigir; fornecimento de sugestões úteis sobre coisas como postos de gasolina ou rotas alternativas; facilidade para manter contato com amigos/família ao dirigir; e fornecimento de um ambiente divertido.
 
Repensar a inovação com colaboração orientada ao consumidor: Para manter o ritmo da inovação e responder aos crescentes problemas do consumidor em relação à conectividade, a colaboração entre setores, organizações e economias é fundamental. Além disso, ele deve estar centrado na experiência coletiva do consumidor e em como tecnologias e serviços diferentes podem se unir para criar casos de uso coesos para clientes automotivos.
 
Com base nas descobertas da pesquisa, o Relatório EPM 2030 descreve cinco principais benefícios para o consumidor, onde a colaboração avançada fornecerá uma melhor experiência no veículo para motoristas e passageiros:
 
Realização: melhore a produtividade pessoal e apoie a capacidade dos motoristas de realizarem multitarefas com segurança.
Bem-estar: desenvolva experiências que aprimoram a segurança física e digital dos consumidores, bem como a atmosfera personalizada no veículo, que reduz o estresse e monitora seu bem-estar físico.
Conexão social: crie conexões pessoais e seguras dentro e fora do veículo - como compartilhamento de localização de rotas e horário de chegada, experiências de mobilidade compartilhada por meio de plataformas de mídia social e muito mais.
Diversão: Garanta uma experiência de mobilidade divertida e enriquecedora, com a capacidade de consumir entretenimento de vídeo e áudio e permitir momentos personalizados de descoberta de maneira segura.
Consciência ambiental: forneça novas opções de mobilidade e tecnologias focadas no eco que podem diminuir a pegada de carbono e o impacto ambiental.



Comentários