A multinacional petrolífera Shell registra três usinas solares em Minas Gerais

Empresa se junta a diversas gigantes do setor de óleo e gás pela busca de ativos renováveis no mundo

Boas notícias para Minas Gerais – a petroleira Shell registrou a licença das usinas fotovoltaicas – Aquarii I, II e III – no município de Brasilândia de Minas. Somados os três projetos terão 150 MW de capacidade solares.

As três usinas são o primeiro projeto de energia renovável da Shell no Brasil.

Gabriela Oliveira, gerente de Novas Energias da empresa, confirmou no segundo semestre de 2019 o interesse da Shell na busca por consumidores livres para o desenvolvimento de projetos de energia fotovoltaica no Brasil.

“Aqui no Brasil a gente está bem focado no segmento de energia solar, até pelo fato da eólica já ter sido bem desenvolvido. O segmento de energia solar está mais iniciante em termos de entrada de novos players”, disse Gabriela

Investimentos

Cerca de três bilhões de dólares serão investidos anualmente em projetos de energias renováveis pela petroleira em âmbito global.


Continua depois da publicidade


Apesar de querer expandir os investimentos a partir do ano que vem, até 2030 a Shell tem como planejamento investimentos entre1 bilhão e 2 bilhões de dólares.

Para não ficar de fora da concorrência, a companhia se comprometeu alcançar a neutralidade nas emissões de carbono em 2050, igualando assim o compromisso assumido pela BP.

“As expectativas da sociedade mudaram rapidamente no debate sobre a mudança climática. A Shell precisa agora ir mais longe em suas próprias ambições: por isto esperamos alcançar a neutralidade no mercado energético em 2050 ou antes. A sociedade e nossos consumidores não esperam menos”, afirmou o CEO da empresa, Ben van Beurden, em um comunicado.




Comentários