Produção da indústria eletroeletrônica recua 9,1% em março

Segundo a Abinee, resultado já aponta efeitos do coronavírus em função dos efeitos da pandemia


Continua depois da publicidade


A produção da indústria elétrica e eletrônica caiu 9,1% no mês de março de 2020 em relação ao mês imediatamente anterior, conforme dados do IBGE agregados pela Abinee, com ajuste sazonal. O resultado já começa a refletir os efeitos da pandemia de Covid-19, que chegou no Brasil em março deste ano. 

˜Já esperávamos esse desempenho com base em sondagens que havíamos feito junto às empresas do setor. Em abril, teremos uma nova queda, provavelmente ainda mais aguda, em função do início das medidas de isolamento social no País", diz o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato. 
Essa foi a maior queda mensal apontada desde maio de 2018 (-12,3%), período em que ocorreu a greve dos caminhoneiros. 

A retração apontada em março de 2020 foi a segunda queda consecutiva na produção do setor, que já havia recuado 5,5% em fevereiro. Vale lembrar que, naquele mês, a queda na produção de produtos eletrônicos foi influenciada, principalmente, por problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos da China, uma vez que o novo coronavírus ainda não havia chegado ao Brasil. 

Ao comparar com março de 2019, a produção do setor recuou 0,3%, com retração de 1,6% na área elétrica e aumento de 1,2% na área eletrônica. 

Acumulado Janeiro-março 

No acumulado de janeiro a março de 2020 a produção industrial do setor eletroeletrônico recuou 0,4%. Esse resultado foi consequência da queda de 1,7% da área eletrônica e da elevação de 0,8% da área elétrica. 




Comentários