China precisará de 3,4 mil aviões em 20 anos, diz Boeing

A norte-americana Boeing estima um investimento de US$340 bilhões

Fonte: Agência Lusa - 18/09/07

A China terá necessidade de 3.400 novos aviões nos próximos 20 anos, o que representa um investimento de US$ 340 bilhões, estima a norte-americana Boeing nas suas previsões de 2007 para o mercado da aviação comercial. "Para este período, a China constituirá o mercado mais forte em crescimento e o primeiro fora dos Estados Unidos para os aviões comerciais", ressalta a Boeing.

Graças, notadamente, "à capacidade de crescimento de 8,1% ao ano", o tráfego aéreo chinês, que hoje representa "um pouco menos de um quinto do mercado interno norte-americano, deverá então passar para mais de metade", indica no estudo Perspectivas 2007.

A frota do gigante asiático deverá quadruplicar nesse período e atingir 4.460 aparelhos, acrescenta o fabricante norte-americano. Dos 3.400 aparelhos necessários, 300 serão especializados em carga. No final de março, a frota civil chinesa era constituída por 1.026 aviões, segundo dados oficiais.

A Airbus tinha previsto em fevereiro passado que a China teria necessidade de cerca de 3.000 aviões nos próximos 20 anos: 2.650 aviões de passageiros e 400 aviões de carga.

A construtora norte-americana acredita que 28.600 novos aviões serão entregues em todo o mundo nos próximos 20 anos, o que representará cerca de 80% dos 36.400 aparelhos que estarão operando em 2026.
Tópicos:
  



Comentários